Petrobras desclassifica firma que ia desmontar plataformas no ES

A empresa responsável por fazer o descomissionamento das plataformas de petróleo no campo de Cação - litoral de São Mateus, região norte do Espírito Santo -, foi desclassificada da licitação. A EPIC Applied Technologies iria cobrar cerca de R$ 120 milhões para fazer o serviço (US$ 30 milhões).

Oficialmente a Petrobras ainda não confirma a mudança. Porém, fontes do setor dizem que a exclusão da empresa foi motivada pelo fato do grupo EPIC Companies - do qual a vencedora da licitação faz parte - ter entrar com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos. “A licitação continua em andamento”, limitou-se a responder a assessoria de imprensa da Petrobras.

O processo de descomissionamento é uma espécie de desmontagem das plataformas que já estão em utilização há muito tempo. A vida útil dos equipamentos é de aproximadamente 25 anos.

PUBLICIDADE

Portonave


Confirmando-se a desclassificação, a vencedora passa a ser a segunda colocada, a William Jacob Management, que cobra US$ 37,8 milhões para fazer o descomissionamento - aproximadamente R$ 150 milhões.

Fonte: A Gazeta


    GHT     Jan de Nul     Antaq
             

Hidromares

 

 

Anuncie PN

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios