AdvertisementAGI Brasil

Petrobras assina Carta de Intenção com MISC Berhad para afretamento do FPSO para Mero 3

O Consórcio de Libra pretende fazer um teste-piloto na área de Mero 3 de uma tecnologia inédita para separação de gás com
elevado teor de CO2 do petróleo

Representantes da Petrobras e da empresa MISC Berhad assinaram, na sexta-feira (14), Carta de Intenção para afretamento e prestação de serviços do FPSO "Marechal Duque de Caxias", a ser instalado no Campo de Mero, como parte do desenvolvimento da produção de sua porção sul, onde está localizado o Projeto Mero 3. FPSO é a sigla em inglês para a unidade que produz, armazena e transfere petróleo.

O FPSO de Mero 3, terceira unidade do sistema definitivo a ser instalada no Campo de Mero, pertencente ao Bloco de Libra, localizado no pré-sal da Bacia de Santos, terá capacidade de processamento de 180 mil barris de óleo e 12 milhões de m³ de gás por dia. Os contratos de afretamento e de serviços terão duração de 22 anos e meio, contados a partir da aceitação final da unidade, prevista para o primeiro semestre de 2024.

O projeto prevê a interligação de 15 poços ao FPSO, sendo 8 produtores de óleo e 7 injetores de água e gás, através de uma infraestrutura submarina composta por dutos rígidos de produção e injeção, dutos flexíveis de serviços e umbilicais de controle.


Rio Oil & Gas 2020


O Consórcio de Libra pretende realizar na área de Mero 3, pela primeira vez, um teste-piloto da tecnologia de High Pressure Separation (separação em alta pressão) – Hisep -, desenvolvida e patenteada pela Petrobras. Os equipamentos, a serem instalados no fundo do mar, vão separar e reinjetar, por meio do uso de bombas centrífugas, boa parte do dióxido de carbono (CO2) produzido junto com o petróleo, permitindo "desafogar" a planta de processamento de petróleo no FPSO e consequentemente possibilitando o aumento da produção de óleo. O HISEP® atualmente está em fase de definição e de testes.

Mero

O campo de Mero é o terceiro maior do pré-sal e está localizado na área de Libra, operada pela Petrobras (40%) em parceria com a Shell Brasil (20%), Total (20%), CNPC(10%), CNOOC Limited (10%) e Pré-sal Petróleo S.A (PPSA) que exerce papel de gestora desse contrato. Atualmente está sendo produzido através de um Sistema de Produção Antecipado, composto pelo FPSO Pioneiro de Libra, com capacidade de processamento de 50 mil barris de óleo por dia. Além desse sistema, estão contratados os FPSOs para os Projetos Mero 1 e Mero 2, respectivamente denominados FPSO Guanabara, em construção pela empresa Modec, e FPSO Sepetiba, em construção pela empresa SBM.


Marintec Navalshore