Marintec Navalshore

Parcela de petróleo da União no regime de partilha de produção até maio cresce 50%

A parcela de petróleo da União nos três contratos que estão em produção no regime de partilha somou 1,5 milhão de barris de janeiro a maio deste ano, um acréscimo de 50% em relação ao mesmo período de 2019. Os dados são do Boletim Mensal de Contratos de Partilha de Produção produzido pela Pré-Sal Petróleo (PPSA), gestora dos contratos, e divulgado nesta segunda-feira (13). A produção da Área de Desenvolvimento Mero (contrato de Libra), realizada pelo FPSO "Pioneiro de Libra", é a principal responsável por este resultado, seguida de Entorno de Sapinhoá e Sudoeste de Tartaruga Verde.

O "Pioneiro de Libra" teve seu primeiro óleo em novembro de 2017, marcando o início da produção comercial no regime de partilha de produção. Desde então, já foram produzidos neste regime 39,3 milhões de barris de petróleo nos três contratos. A parcela da União acumulada neste período é de 6,3 milhões de barris de petróleo.

tab

No mês de maio, a produção total (Consórcios e União) média diária dos três contratos foi de 42 mil barris de petróleo dia (bpd), sendo 22 mil bpd na Área de Desenvolvimento de Mero; 8 mil bpd em Entorno de Sapinhoá; e 12 mil bpd em Sudoeste de Tartaruga Verde. O resultado é 5% superior ao registrado em maio de 2019 (40 mil bpd) e 25% inferior à produção de abril de 2020.


Catálogo da Indústria Marítima


A queda em relação a abril de 2020 reflete o procedimento de troca da linha de produção de óleo de 8 polegadas para linha de serviço de 6 polegadas, ocorrida ao final do mês de abril, e a interrupção da produção, no final de maio, devido às condições meteoceanográficas (ondas acima de 4m).

O óleo lucro diário da União foi de cinco mil bpd em maio. O resultado inferior ao de abril é explicado pela redução da produção de Mero e pelo aumento da recuperação de custos em Sapinhoá, que deixou menos excedente em óleo para ser partilhado.

tab

Gás Natural

Em maio de 2020, a produção total (Consórcios e União) média diária dos dois contratos com aproveitamento comercial do gás natural foi de 288 mil m³/dia, sendo 201 mil m³/dia em Entorno de Sapinhoá; e 87 mil m³/dia em Sudoeste de Tartaruga Verde. O número reflete um aumento de 2,5% em comparação a maio de 2019. Na ocasião, a produção totalizava 281 mil m³/dia. O gás natural produzido em Mero não teve aproveitamento comercial até o momento. O gás lucro diário da União foi de 40 mil m³.

Entre janeiro e maio deste ano, as duas áreas produziram 43 milhões de metros cúbicos, sendo a parcela da União de 15,6 milhões de metros cúbicos.


Marintec Navalshore