Marintec Navalshore

Novos softwares da AVEVA possibilitam redução de falhas em ativos offshore

A tecnologia tem sido um importante aliado para setores estratégicos da economia. E nesse contexto, empresas de inovação industrial e engenharia investem para suprir demandas essenciais de áreas como petróleo e gás e o setor naval. A AVEVA, empresa de softwares industriais lançou, no início deste ano, três novos softwares com recursos que criam soluções e ajudam a diminuir riscos e perdas de ativos.

O portfólio de software de gerenciamento de desempenho de ativos (APM), da AVEVA, foi projetado para superar alguns dos principais desafios industriais de setores como o de óleo e gás. De acordo com os gerentes de desenvolvimento de negócios e de vendas em soluções de negócios digitais, Giacomo Guida e Renato Rabelo, respectivamente, a transformação digital permite liberar o potencial dos ativos e capacita aquele setor a adotar estratégias de manutenção preditiva (PdM).

Para eles, isso possibilita evitar falhas dispendiosas dos ativos, mas também reduz o tempo de inatividade, evita erros e previne acidentes. Com o objetivo de alavancar aspectos como do big data industrial, da nuvem, inteligência artificial e da realidade aumentada, a plataforma da AVEVA foi projetada para permitir análises que ajudam clientes a eliminarem ineficiências. Além disso, busca otimizar as operações e prevenir acidentes melhorando a lucratividade.

Publicidade

Marintec Navalshore

 

No caso dos ativos offshore, as tecnologias dos softwares de gerenciamento de desempenho de ativos da empresa geram alertas que antecipam falhas que poderiam resultar em paradas não programadas. De acordo com Guida e Rabelo, estudos realizados junto a empresas de óleo e gás sugerem que a hora parada gera custos estimados em US$ 250 mil.

Como exemplo, eles citaram o caso de um cliente no qual um único alerta permitiu evitar falha crítica em uma turbina. A antecipação de uma manutenção programada, nesta situação, levou a uma economia de US$ 34 milhões.

Os softwares também contribuem para outros setores do segmento industrial, como é o caso do setor naval. Segundo afirmaram Guida e Rabelo, os estaleiros buscam otimizar a produção, mantendo a conformidade e melhorando a lucratividade e as novas tecnologias podem ajudar nesses aspectos.

De acordo com eles, considerando as várias prioridades conflitantes existentes no setor naval, a avaliação de gerenciamento de desempenho de ativos da AVEVA permite que os estaleiros possam entender o status atual dos seus negócios. Além disso, a avaliação identifica onde as oportunidades de melhoria podem proporcionar o retorno financeiro mais rápido. As soluções da empresa também incluem um plano de ação para ser executado, a fim de obter o máximo de segurança e funcionalidade dos processos dos estaleiros.

Guida e Rabelo ressaltaram que a inovação já está presente na indústria mundial e o Brasil vem seguindo essa tendência. Os setores que estão mais conectados às tecnologias digitais são o de TI, setores financeiros, bancos de investimentos, entre outros. Porém, o mercado de óleo e gás, assim como o de celulose e papel, alimentos e bebidas já estão aderindo à indústria 4.0.

Mas para a AVEVA os setores considerados mais aderentes são o de geração de energia e óleo de gás. No Brasil, setores como o de mineração, celulose e papel, alimentos e bebida também vêm ganhando muito relevância para a empresa.

 



Assine Portos e Navios

fundo transp Intermodal
  Thermo Solutions     Assine Portos e Navios

  Catálogo da Indústria Marítima

 

 

  Anuncie PN

 

Tche Digital

 

 

 

Sinaval   Abratec
Publicidade

Marintec Navalshore