Brasmero

Primeiro navio da rota comercial para a Venezuela parte de Belém em maio

A partir de maio, um navio sairá do Porto de Belém em direção a Venezuela, rota comercial definida em novembro, com linha e escalas regulares para a troca de produtos com o país vizinho. O mês da primeira viagem foi decidido nesta quarta-feira (24), por autoridades e empresários da Venezuela e representantes do governo e empresários paraenses. A reunião foi no Hangar Centro de Convenções.
Maurílio Monteiro, secretário de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia (Sedect), disse durante a reunião que o intercâmbio com a Venezuela segue a orientação do Presidente Lula, para quem os países em desenvolvimento devem se aproximar comercial e culturalmente. "A China e a Venezuela foram dois países especialmente recomendados pelo presidente para intensificarmos as relações". lembrou Maurílio.
Ele mencionou os sete protocolos de intercâmbio firmados em novembro passado, na Venezuela, todos eles em andamento, "alguns com mais rapidez, outros com menos, mas é com prazer e alegria que confirmo esses frutos e na certeza de que hoje avançarão ainda mais", disse ele.
Cônsul geral da Venezuela, Leonor Osório reafirmou os laços de amizade entre os dois países, "mais de cem anos, de forma efetiva", e garantiu que as relações comerciais, já extensas, serão ampliadas de forma significativa nos próximos meses. Em seguida, quatro grupos de trabalho debateram como avançar para viabilizar os sete protocolos de intercâmbio.
O início da rota comercial marítima só precisa definir qual navio fará a linha, onde serão as escalas, qual a periodicidade, e também nomear uma agência de carga, que tratará diretamente com os empresários (venezuelanos e brasileiros) sobre preços, tipos de produtos transportados e como serão acomodados. Em maio próximo, durante rodada de negociações em Belém, com cerca de 15 empresários venezuelanos, a rota será oficialmente anunciada e inaugurada.
O secretário estadual de Agricultura, Cássio Pereira, o representante do Ministério das Relações Exteriores da Venezuela, Ricardo Rauseo, e empresários paraenses constituíram um grupo para debater as exportações de carne do Pará para a Venezuela. O Pará tem 15 plantas de processamento de carne liberados pelo Sistema de Inspeção Federal (SIF) e aptas a exportar. Na próxima visita dos venezuelanos ao Pará, no início de maio, as plantas serão visitadas e, quem já atender às exigências ou se adequar a elas, será credenciado para exportar sem barreiras.
O grupo paulista Minerva, que opera também no Pará, desde outubro exporta carne processada para a Venezuela, pelo porto de Vila do Conde, em Barcarena. As exportações começaram com 90 toneladas por semana, e hoje estão muito acima de 100 toneladas.
Também se discutiram intercâmbios em esporte (envolvendo beisebol, por parte da Venezuela, e futsal, por parte do Pará) e também turismo (com a discussão de rotas tanto lá como aqui, com vistas a incrementar o intercâmbio de visitantes).
A visita da comitiva venezuelana continua nesta quinta-feira, com novas reuniões com empresários e instituições paraenses.
Secom, com informações da Ascom/Sedect

Fonte: Portal do Governo do Pará

 

PUBLICIDADE

Navalshore


 

 

 

 


Pesa

    AAPA     Jan de Nul     Antaq
             

Tche Digital

 

 

Anuncie PN

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios