Petrobras produz 190 mil metros cúbicos de combustível naval com menor teor de enxofre no segundo trimestre

A Petrobras produziu entre abril e junho cerca de 190 mil metros cúbicos de óleo combustível naval com baixo teor de enxofre, denominado Bunker 2020, atendendo nova regra internacional que visa reduzir a emissão de poluentes por navios, disse a empresa nesta quarta-feira.

A produção ocorreu em seis refinarias, incluindo a de Abreu e Lima (RNEST), em Pernambuco, que vendeu na semana passada sua primeira carga do produto, de 16 mil m³ que serão exportados, acrescentou a companhia, em comunicado.

As outras refinarias que produzem o combustível são a Isaac Sabbá (Reman), no Amazonas, Refinaria Landulpho Alves (RLAM), na Bahia, Refinaria de Paulinia (Replan) e Refinaria Henrique Lage (Revap), ambas em São Paulo, e Refinaria Duque de Caxias (Reduc), no Rio de Janeiro.

Publicidade
Catálogo da Indústria Marítima

 

O óleo combustível recebeu o nome de Bunker 2020 devido à mudança no limite máximo para o teor de enxofre, que passará a valer em todo o mercado mundial de refino e combustíveis a partir de 2020.

A nova especificação, estabelecida pela Organização Marítima Internacional (IMO, na sigla em inglês), reduz o teor de enxofre de 3,5% para 0,5%.

"O novo limite atende à Convenção Internacional para a Prevenção da Poluição por Navios (Marpol), da qual o Brasil é signatário... As mudanças começaram a ser debatidas após estudos demonstrarem que o transporte marítimo é o que possui as maiores taxas de emissão de enxofre", explicou a Petrobras.

Fonte: Extra

Comentários