Porto do Açu

Pequena recuperação

Demanda por transporte de contêineres melhora em dezembro, mas  desempenho em 2012 é 0,5% menor que o de 2011

O volume global de cargas movimentadas em 2012 em contêineres secos e reefers, tanto na exportação como na importação, segundo a Container Trades Statistics, somou 127,02 milhões de TEUs. O número é meio ponto percentual menor do que o de 2011, quando foram movimentados 127,66 milhões de TEUs. A comparação mês a mês de 2012 sobre 2011 mostra um desempenho positivo global ano passado até junho, quando teve início uma série negativa que se estendeu até dezembro, último mês do estudo publicado pela revista inglesa. O primeiro trimestre de 2012 registrou evolução positiva de 4,94% em relação ao mesmo período de 2011. O segundo trimestre refluiu para um resultado positivo de 1,55% sobre 2011. Já o terceiro trimestre de 2012 apresentou resultado negativo de -4,13% sobre o mesmo período de 2011. O quarto trimestre manteve a tendência, com -3,81%.
Os dois últimos meses do ano passado, no entanto, mostram uma evolução positiva para os transportadores, já que em novembro foram movimentados 10,06 milhões de TEUs e em dezembro, 10,76 milhões de TEUS, ou 6,9% a mais do que o mês anterior. O resultado reflete principalmente o bom desempenho da Ásia, quando o movimento de exportação mais importação passou de 1,72 milhões de TEUs em novembro para 1,82 milhões de TEUs em dezembro.
A melhora na demanda no final do ano acontece num momento em que o crescimento do PIB permanece indefinido e estagnado para os EUA e Europa. Uma das explicações para o comércio em ascensão em meio à crise seria a de que as importações em novembro teriam sido artificialmente baixas. As escalas da Ásia para a Europa e EUA têm sido irregulares e envolveram muitas viagens canceladas em novembro. Com isso, dezembro teria registrado mais partidas da Ásia do que o normal. Outra explicação teria sido o movimento feito por importadores europeus e norte-americanos de reabastecimento acelerado diante de cinco meses de reduções consecutivas. A terceira explicação seria a taxa de juro zero e mercados de ações em expansão, com empresas investindo em instalações e equipamentos.

A Europa obteve resultado positivo na exportação, 4,87%, e negativo na importação, -3,77%. O total exportado em 2012 somou 17,11 milhões de TEUs contra 16,31 milhões de TEUs em 2011. As importações somaram 20,89 milhões de TEUs em 2012 e 21,71 milhões TEUs em 2011.
A Ásia teve resultados negativos tanto na exportação quanto na importação, -0,86% e -3,35% respectivamente, na comparação de 2012 sobre 2011. Foram movimentados 44,72 milhões de TEUs na exportação em 2012 contra 45,11 milhões de TEUs em 2011; e 21,63 mlhões de TEUs em 2012 contra 22,38 milhões de TEUs em 2011 no sentido importação.
A América do Norte obteve desempenho negativo de -4,15% em 2012 na exportação (14,74 milhões de TEUs em 2012 e 15,38 milhões de TEUs em 2011) e positivo de 0,88% na importação (21,55 milhões de TEUs em 2012 e 21,36 milhões de TEUs em 2011.
As Américas Latina e Central perderam cargas tanto na exportação quanto na importação em 2012, comparativamente a 2011. Foram movimentadas menos -4,91% na exportação (4,96 milhões de TEUs em 2012 e 5,22 milhões de TEUs em 2011) e -0,1% na importação (7,75 milhões de TEUs em 2012 e 7,76 milhões de TEUs em 2011).

Priner     Terlogs     Mampaey     AAPA
             

Tche Digital

 

 

Sinaval

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios