Marinha realiza inspeção de embarcações de passageiros

Uma equipe de inspeção naval da Marinha do Brasil realizou nesta quinta, 31, vistoria nas embarcações utilizadas no tráfego aquaviário de passageiros, entre Rio Grande e São José do Norte. Durante a ação, foram avaliadas as condições de conservação e segurança oferecidas pelo transporte.

Durante a terceira vistoria técnica da Marinha, realizada nesta semana, a embarcação "Betânia" teve cancelado o certificado de permissão do serviço de travessia. Mais de 100 irregularidades foram verificadas pela equipe, que identificou diversos indícios de que a estrutura estaria em condição crítica.

A Superintendência da Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional - Metroplan, encaminhou o coordenador regional, Mario Ribeiro, para acompanhar a inspeção junto à Marinha. De acordo com o representante da Metroplan, que acompanhou a ação, a visita foi motivada em virtude do incêndio de outra lancha, a "Princesa Diana", no início desta semana.

Ainda está programada a inspeção em mais dois transportes hidroviários, a "Noiva do Mar" e a "Dona Armandina". De acordo com o capitão-dos-portos Sergio Luiz Correa, tudo indica que no total três embarcações têm condições de permanecer na travessia.

A primeira embarcação a ser vistoriada pela equipe foi a "Princesa Diana", que já está impedida de trafegar. A lancha denominada "Mara", segunda a ser inspecionada, apesar de ter recebido recomendações, não apresentou características impeditivas e continuará em serviço.

Para garantir a segurança dos usuários, o trabalho em todas as embarcações de passageiros está sendo feito por um grupo especial de inspeção . “É uma equipe especializada em fazer esse trabalho de vistoria, inclusive em navios mercantes. É um grupo bem mais técnico do que uma inspeção normal”, informou o capitão-dos-portos.

Segundo ele, está agendada para a próxima semana uma reunião, em Porto Alegre, na Metroplan, para discutir a questão. Caso o número de lanchas não supra a demanda local, será analisada a necessidade de se disponibilizar outras embarcaçôes em condições de uso. A Capitania dos Portos informa também que será divulgada nota oficial de esclarecimento à comunidade, sobre as razões que levaram a Marinha a retirar de circulação as embarcações.

Fonte: Jornal Agora (RS)/Thaise Saeter


Marintec Navalshore