Curso H

Maersk aposta em intermodalidade para ajudar a aumentar as exportações de algodão

Para melhorar a competitividade dos exportadores brasileiros de algodão em meio a mais uma expectativa de recorde de safra 2019-2020, a Maersk está apostando em oferecer serviços intermodais com soluções de ponta a ponta. O Brasil é o segundo maior exportador de algodão do mundo e, segundo Gustavo Paschoa, diretor comercial da Maersk, impulsionou amplamente as exportações em 2019. Mas o maior custo para os produtores foi o transporte rodoviário.

“Nossa expectativa é que este modal aumente significativamente à medida que mais trens e opções estiverem disponíveis para os produtores do Mato Grosso e da Bahia, por exemplo. Hoje, 40% do movimento total da Maersk em terra no Brasil é ferroviário. O transporte ferroviário é um fator importante para ajudar a aumentar a competitividade nacional. A Maersk está buscando intensificar sua presença e parcerias com empresas ferroviárias no Brasil”, acrescenta.

A Maersk também está focada em desenvolver novas maneiras de estufar algodão em contêineres e em analisar como reduzir custos em toda a cadeia de suprimentos, reposicionando o uso de contêineres de ponta a ponta. “A maior parte da estufagem do algodão é feita nos portos, mas seria mais rápido e eficiente fazê-las mais perto das fazendas. Essa é uma das maneiras de aumentar a competitividade agora que o Brasil é o segundo maior exportador de algodão do mundo depois dos EUA. Evitar acúmulos que causam atrasos é fundamental”, diz o diretor de produto da Maersk para a Costa Leste da América do Sul, Matias Concha, referindo-se às expectativas de que o Brasil entregue outra safra recorde para a colheita 2020-2021.

Atualmente, os produtores de algodão usam cada vez mais a ligação ferroviária entre Rondonópolis, Mato Grosso e o maior porto da América Latina, Santos, para reduzir os custos de logística terrestre. "Após a greve dos caminhoneiros em 2018, os fornecedores de logística ponta a ponta tornaram-se cada vez mais importantes para os produtores brasileiros. Uma solução intermodal completa cria segurança, fornece transparência, aumenta a competitividade e reduz os custos de uma empresa em termos de tempo e pessoal. Para os produtores de algodão, trens com empilhamento duplo representam uma excelente oportunidade”, diz Concha.

No quarto trimestre de 2019, o algodão saltou 37%, superando todas as outras exportações de produtos secos no período.


Marintec Navalshore



Assine Portos e Navios

Ecobrasil fundo transp Intermodal
  Thermo Solutions     Assine Portos e Navios

  Catálogo da Indústria Marítima

 

 

  Antaq

 

Tche Digital

 

 

Marintec Navalshore

 

Sinaval   Abratec