Linha marítima direta com países árabes dependerá do volume comercializado, dizem especialistas

Criar uma linha marítima direta entre Brasil e países árabes já está na pauta do governo federal. Mas para especialistas em comércio exterior, uma nova rota marítima acontecerá quando os volumes comercializados com o Oriente Médio aumentarem e forem capazes de justificar a mudança. O objetivo do governo com a linha é reduzir os custos operacionais e ampliar as trocas comerciais, especialmente para os produtos agrícolas.

Restrito a assinantes