Navalshore

Fundamentos da Hidrovias do Brasil permanecem sólidos apesar do curto prazo desafiador, diz XP

A queda de 30% das ações da Hidrovias do Brasil neste ano é exagerada, diz a XP, após atualizar suas estimativas da empresa. A casa vê que, apesar do curto prazo desafiador, com a crise hídrica dificultando a navegação no corredor sul e a quebra na safra de grãos de 2021, os fundamentos da companhia permanecem sólidos.

Os analistas Pedro Bruno, Lucas Laghi e Gabriela Ferrante escrevem que esses fatores adversos parecem estar limitados a 2021 e que as novas metas anunciadas pela empresa trouxeram uma visibilidade para que investidores consigam estabelecer um piso para o impacto operacional negativo.

No longo prazo, a XP mantém a visão positiva na tese de investimentos com a Hidrovias tendo uma posição de destaque para se beneficiar do forte potencial de produção e exportação de grãos no Centro-Oeste, além de ter um perfil de contrato de longo prazo e taxa interna de retorno atraente para o acionista, de 15%.

Leia também: Hidrovias do Brasil reverte prejuízo e tem lucro de R$ 97,8 milhões no segundo trimestre
A XP tem recomendação de compra para Hidrovias do Brasil, com preço-alvo em R$ 8,90, o que representa potencial de alta de 89% sobre o fechamento de ontem.


Norsul


Fonte: Valor

    Terlogs     Mampaey     AAPA
             

Tche Digital

 

 

HPP

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios