AdvertisementAGI Brasil

CSAV eleva em 50% oferta de porta-contêineres no país

O armador chileno CSAV está trazendo uma nova frota de 12 navios porta-contêineres que expandirá em quase 50% sua atual oferta no tráfego entre a Ásia e a Costa Leste da América Latina. As embarcações de 6.500 Teus (contêineres de 20 pés) substituirão as atuais, de 4.500, Teus até o fim do ano. A primeira, Maipo, esteve no porto de Santos (SP) no início desta semana. Atracou no cais do terminal da Libra para movimentar 1.924 Teus. Foi recorde de produtividade da instalação, com 105,8 movimentos por hora. Os próximos navios da CSAV a chegar em águas brasileiras são o Pangal e Mataquito. Cada um tem em média 1,2 mil tomadas para contêineres refrigerados, principalmente utilizado para armazenar frango brasileiro exportado aos países asiáticos.

"A Ásia é o trade com o maior volume de carga e vai continuar crescendo neste ano, provavelmente a dois dígitos. A intenção é fazer o upgrade total da frota ao longo deste exercício", disse o vice-presidente de operações do grupo CSAV da Costa este da América do Sul, David Giacomini.

De acordo com o executivo, além da retomada dos volumes no comércio exterior, existe outro aspecto que motivou a CSAV a fazer o investimento, cujo valor não foi revelado. Sustentabilidade financeira e ambiental. "Navios maiores permitem mais eficiência de custo por Teu e menos consumo de combustível. É um bom casamento de equilíbrio financeiro e meio ambiente".

A rotação com frequência semanal na Costa Leste será: Santos, Rio Grande (RS), Montevidéu (Uruguai), Paranaguá (PR), Santos, São Francisco do Sul (SC), Buenos Aires (Argentina) e Montevidéu, seguindo para Cingapura. "Os portos brasileiros estão se adaptando para receber esses navios", diz Giacomini, citando Rio de Janeiro e Itajaí (SC). "O Rio, no curto prazo, poderá atender esse tipo de embarcação com o fim da dragagem. E Itajaí está começando o serviço".

A CSAV está construindo uma outra classe de embarcações de 8 mil Teus que, de acordo com informações de mercado não confirmadas por Giacomini, devem substituir a família dos 6,5 mil Teus a partir de 2012. "A América do Sul é a nossa casa."

(Fonte: Valor Econômico/FP/Para o Valor, de Santos)


Marintec Navalshore