Eles estão chegando. Vindos do outro lado do Atlântico, navios de passageiros gigantes começarão a apontar no horizonte a partir de 24 de outubro, anunciando o início da temporada brasileira de cruzeiros 2018/2019.

Quando se fala de “temporada brasileira”, a referência é a navegação de cabotagem: a que ocorre a curtas distâncias da costa e com embarque e desembarque em portos nacionais (como é o caso dos roteiros para o Rio da Prata, no Uruguai e na Argentina, mas com início e fim no Brasil). Esse período vai de 19 de novembro a 11 de abril de 2019.

Entre os gigantes dos mares que vão chegar, o MSC Seaview é maior que qualquer outro navio de cruzeiros que já tenha visitado o país. Com capacidade para 5.331 passageiros, ele é o principal responsável pelo aumento de 15% na oferta de leitos em relação à temporada de 2017/2018. Lançado em junho e com atrativos inéditos por aqui, é também o mais novo entre os seis que entre novembro e abril farão parte da temporada brasileira. Quem quiser vê-lo de perto, no dia 5 de dezembro ele estará no Píer Mauá para uma cerimônia de boas-vindas.

 

O Seaview é um dos três navios que a MSC terá no nosso litoral, ao lado do Poesia e do Fantasia, este com embarque exclusivo no Porto do Rio, outra novidade desta temporada.

MAIS MOVIMENTO NO RIO

A Costa retorna com os gêmeos Favolosa e Fascinosa, assim como a Pullmantur e o Sovereign (conhecido por aqui como Soberano), veterano em águas nacionais.

— É o início de uma recuperação. Estamos longe ainda do auge, de oito anos atrás, mas nos afastando do fundo do poço que foi a temporada 2016/2017. Voltamos a crescer no ano passado e por isso repetimos algumas fórmulas, como a prioridade pelos minicruzeiros, que dão a oportunidade a mais pessoas de vivenciar a experiência no mar — afirma o presidente executivo da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Clia Brasil), Marco Ferraz, referindo-se aos programas de três a quatro noites partindo de Santos ou do Rio.

Ferraz também aponta Balneário Camboriú como um dos destaques da temporada, que passa a receber de 20 para 27 escalas. Oficialmente não haverá, como foi o caso dessa cidade catarinense no ano passado, um novo porto. Mas alguns destinos podem ser visitados pelos navios como “teste de escala”.

— Estamos conversando com São Francisco do Sul, Itajaí (ambos em Santa Catarina), Arraial do Cabo (RJ), Vitória (ES), Aracaju (SE), Morro de São Paulo e Itaparica (esses dois, na Bahia). Uma ou duas dessas cidades entrarão como teste de escala na rota de algum dos nossos navios no começo de 2019. É assim que avaliamos a possibilidade de incluir mais destinos nas próximas temporadas — explica Ferraz.

Fora da categoria “temporada brasileira”, há muitos outros navios, principalmente voltados para o mercado de luxo, que visitam o país em meio a longas travessias, rumo à ponta sul do continente ou ao Caribe. Só no Porto do Rio serão 28 deles, em 103 atracações.

O ano, aliás, promete para o porto carioca. Pela primeira vez a Píer Mauá, concessionária que administra o terminal, vai operar com três armazéns — até então, só dois eram abertos para receber os passageiros.

Fonte: O Globo

Comentários


Schottel

Assine Portos e Navios



Syndarma

ABTP

Antaq

TMSA

Assine Portos e Navios

ABTP

Sobena

Terra Firma Abratec