Batismo do navio patrulha cearense 'Macaé'

Navio cearense fará patrulha da costa brasileira
O navio-patrulha tem autonomia de dez dias de navegação, raio de ação de mais de 4.500 km, possui 60% de nacionalização em seu projeto e operará no Rio de Janeiro
O Macaé, construído pela Inace, é o primeiro de uma nova classe de barcos que fiscalizarão as águas brasileiras
A partir de hoje, a proteção da costa brasileira receberá um novo reforço. Será batizado, às 10h, na Indústria Naval do Ceará (Inace), o navio-patrulha Macaé. A mais nova embarcação da Marinha, construída pela Inace, custou R$ 50 milhões e fará vigília das Águas Jurisdicionais Brasileiras (AJB), nas quais desenvolverá atividades de patrulha e inspeção naval, salvaguarda da vida humana no mar, fiscalização de poluição marítima e proteção dos campos de petróleo no mar - incluindo as áreas destinadas à exploração da camada pré-sal -, além de contribuir para a segurança do tráfego marítimo nacional.
Nova classe
Arquitetado desde 2006, o Macaé é o primeiro de uma nova classe de navios-patrulha que serão incorporados à Armada nos próximos anos. Em 2010, a Inace entregará mais uma embarcação, e outras quatro serão construídas no estaleiro Eisa, no Rio de Janeiro.
O novo barco pode navegar durante dez dias e possui raio de ação de mais de 4.500 km. 60% da execução do projeto é nacional, e entre os sistemas fabricados no País, destacam-se o de Controle e Monitoramento de Máquinas (SCM), e o Terminal Tático Inteligente (TTI), que de acordo com Elisa Gradvohl, superintendente-geral do estaleiro, "é um computador produzido pelo Instituto de Pesquisas da Marinha que recebe todas as informações dos sensores e as apresenta a quem está comandando". O Macaé foi projetado a partir do aperfeiçoamento tecnológico do navio-patrulha de origem francesa Classe Vigilante 400 CL54.
Segundo o tenente Henrique Afonso, da Marinha, inicialmente, a moderna embarcação operará em Fortaleza para fins de verificação e instalação de equipamentos pela instituição.
Posteriormente, ainda sem data definida, o navio-patrulha seguirá para o Rio de Janeiro, onde ficará operando.
Na cerimônia de batismo do Macaé, estarão presentes o ministro da Defesa, Nelson Jobim; o governador do Estado, Cid Gomes; e o comandante da marinha, almirante-de-esquadra Julio Soares de Moura Neto.(Fonte: Diário do Nordeste/CE)