Ecobrasil 2019

ATP propõe testes de calado e dispensa de práticos na Barra Norte

A Associação de Terminais Portuários Privados (ATP) propôs novos avanços no Projeto Barra Norte, no Rio Amazonas. Representantes da associação foram recebidos pelo comandante do 4º distrito naval, vice-almirante Newton de Almeida Costa Neto na última quinta-feira (11) em Belém (PA). Na ocasião, o diretor-presidente da ATP, Murillo Barbosa, sugeriu, entre outras ações, o início dos testes de navegação com o aumento do calado do canal para 11,90 metros e a dispensa da praticagem obrigatória para navegação na profundidade de 11,70 metros. 

A estimativa da ATP é que, a partir da ampliação do calado de 11,50 metros para 11,70 metros, os navios passem a transportar 1,8 mil toneladas a mais, em média. A associação acredita que o aumento do calado contribui para a geração de investimentos na região, instalação de novos terminais e consequente desenvolvimento socioeconômico com maior geração de emprego e renda. “Está na hora de avançar. Os primeiros testes de navegação no canal da Barra Norte com calado de 11,70 metros, realizados no ano passado, tiveram êxito e mostraram que não há riscos à segurança do navio ou de terceiros. Os avanços nos testes de navegação são um passo importante para proporcionar um avanço expressivo do setor logístico do país”, disse o presidente da ATP.

Para a associação, o aumento do calado no canal da Barra Norte do Rio Amazonas permitirá que os navios transportem quantidades maiores de carga, melhorando a eficiência e diminuindo os custos logísticos no norte do país. A região é rota de escoamento da safra agrícola, principalmente do Centro-Oeste, e vem registrando anualmente aumento do volume transportado, impulsionado pelos recordes na produção de grãos, como soja e milho.

Segundo o presidente da ATP, a Marinha reconhece a importância do projeto Barra Norte e está comprometida com os estudos técnicos que serão realizados ao longo dos próximos meses. O projeto é uma iniciativa liderada pela ATP desde 2016, em parceria com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Os estudos de navegação são conduzidos por um grupo de pesquisadores da UFRJ sob a coordenação da professora Suzana Vinzón.

Nota da Redação: A ATP esclarece que, em momento algum, houve cobrança de ação à Marinha, como pode ter ficado subentendido no título usado na matéria anteriormente. Em nota enviada à redação, a associação enfatizou que, desde sua concepção, a Marinha está dando total apoio e reconheceu a importância do Projeto Barra Norte para a região Norte. A entidade também destacou que as reuniões entre ATP e Marinha ocorrem sempre no sentido de avançar no projeto a partir de entendimentos comuns sobre as próximas ações. Confira abaixo a nota na íntegra:

Publicidade
Ecobrasil 2019

Em relação à matéria: “ATP cobra testes de calado e dispensa de práticos na Barra Norte”, a ATP esclarece que a Marinha está dando total apoio e reconhece a importância do Projeto Barra Norte para a Região Norte do País. As reuniões entre ATP e Marinha ocorrem sempre no sentido de avançar no projeto a partir de entendimentos comuns sobre as próximas ações. 

Em momento algum houve cobrança de ação à Marinha, como se pode entender no título usado na matéria. Pelo contrário, o órgão vem atuando em todas as etapas do projeto, desde os estudos técnicos de batimetria, até os testes de navegação, que se iniciaram em julho último. Dessa forma, avaliamos que o título nos causa prejuízos institucionais em nossa relação profícua com a Marinha voltada a avanços que irão projetar novos investimentos no Arco Norte.

Comentários