A Wilson Sons Ultratug Offshore anunciou que negocia novos termos contratuais para oito PSVs que estão em operação para a Petrobras. Em comunicado ao mercado, a empresa na qual a Wilson Sons detém 50% de participação acionária e a chilena Ultratug os demais 50%, detalhou que a negociação vai considerar uma redução de aproximadamente 6% na taxa diária média da frota e até 858 dias de suspensão para todos os navios combinados.O objetivo é prorrogar os prazos originais dos contratos por um período igual à suspensão. De acordo com a WS Ultratug, a suspensão temporária desses contratos deve-se ao cenário atual de demanda reprimida.

A empresa informou ainda que continua buscando novas oportunidades para aumentar a utilização da frota. Em julho de 2017, a WS Ultratug classificou-se em primeiro e segundo lugar com embarcações de bandeira brasileira em uma licitação da Petrobras para o fornecimento de embarcações de apoio ao mergulho de águas rasas (SDSVs), ofertando os PSVs Mandrião e Pardela. Em setembro de 2017, a WSUT classificou-se em primeiro e segundo lugar em outra licitação da Petrobras para o fornecimento, em maio de 2018, de embarcações de apoio à plataformas e recuperação de derramamentos de óleo (OSRV/PSVs), ofertando os navios Albatroz e Gaivota.


(Da Redação)