Marintec Navalshore

Produtos e Serviços

Retomada tem livro

A retomada dos investimentos da indústria naval, offshore e de navipeças no Brasil a partir dos anos 2000 motivou o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) a estudar e entender o que vem ocorrendo com esses importantes setores. Em fase de diagramação, o livro Ressurgimento da Indústria Naval no Brasil — 2000-2013 analisa impactos importantes sobre a economia brasileira, como a forte geração de emprego e renda; o desenvolvimento de uma rede de fornecedores nacionais; e as oportunidades para a expansão de processos de inovação e de novas tecnologias.

O livro aborda o desenvolvimento e expansão do segmento de produção de plataformas de exploração e produção de petróleo e de gás offshore e de serviços de cabotagem de óleo bruto e derivados, além da capacidade de conquista de mercados externos e impactos sobre a formação bruta de capital fixo.

De acordo com o professor Carlos Campos, da diretoria de estudos e políticas setoriais, inovação, regulação e infraestrutura do Ipea, a atividade de produção de petróleo e gás offshore da estatal, juntamente à decisão de contratar embarcações produzidas no Brasil com percentuais crescentes de conteúdo local, redinamizou o setor naval brasileiro a partir do início dos anos 2000. Campos é um dos organizadores do livro, junto com Fabiano Pompermayer.

Campos destaca que a revitalização dessas indústrias no período envolve políticas industriais, empresariais, de financiamento e de capacitação de mão de obra. Dessa forma, o capítulo inicial do livro faz uma contextualização dos ciclos econômicos considerando as políticas específicas que buscaram desenvolver a indústria naval, desde o Plano de Metas (anos 1950) até as políticas atuais. O papel da Petrobras na retomada da indústria naval brasileira também é analisado nesse trabalho.

A publicação apresenta ainda um panorama do mercado internacional de construção naval, com ênfase no mercado civil. E avalia as necessidades e possibilidades de fomento às empresas de engenharia de projeto brasileiras, mais especificamente aquelas voltadas para os projetos da indústria naval.

O livro também reserva espaços dedicados à incidência tributária sobre a indústria naval. “São muito alvissareiras as perspectivas para a indústria naval brasileira nos próximos trinta anos, destacadamente para os segmentos de construção de embarcações de apoio marítimo, plataformas de produção, sondas de perfuração, todos esses com muita tecnologia embarcada, mas também navios para cabotagem e transporte fluvial e embarcações de apoio portuário”, resume Campos.

Ele será palestrante na conferência da Marintec South America Navalshore 2014, que acontece de 12 a 14 de agosto, no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro. Na ocasião, Campos apresentará dois capítulos do trabalho: um sobre fornecedores de navipeças e outro sobre investimentos em construção naval no Brasil e comparação com as práticas na China e Coreia do Sul.

Enaex

O ministro da Secretaria dos Portos, Antonio Henrique Silveira, é um dos nomes confirmados para participar da 33ª edição do Encontro Nacional de Comércio Exterior (Enaex), que terá como tema “Propostas para a redução de custos no comércio exterior”. Antonio Silveira fará a palestra “Portos: modernização e redução de custos” no segundo dia do evento, que acontece dias 7 e 8 de agosto, no Rio.

O Enaex 2014 será realizado em novo local, no Centro de Convenções SulAmérica. O evento, o maior do segmento no Brasil, contará também com uma exposição de serviços de comércio exterior, entre os quais um espaço de promoção de negócios para contatos e encontros com especialistas em negócios internacionais. Estão previstos ainda workshops e atendimento de empresas por técnicos do MDIC.

Durante o Enaex, acontecerá ainda a reunião do Conselho de Comércio Exterior do Mercosul (Mercoex) e as entregas dos prêmios “Destaque de Comércio Exterior 2014” e “Proex Excelência 2014”.

Soldagem portátil

A Fronius coloca à disposição do Mercado o primeiro aparelho de soldagem portátil no mundo com baterias de lítio-íon para a utilização independente da rede. O AccuPocket 150/400 é o primeiro sistema de soldagem MMA que possibilita uma mobilidade desconhecida até o momento graças ao seu baixo peso total de 11 quilos e a uma bateria de lítio-íon de alto desempenho no E-Hand e na soldagem TIG. Com a bateria completamente carregada (400 Wh) é possível soldar até oito eletrodos de 3,25mm ou 18 eletrodos com diâmetro de 2,5mm. O carregador Active Charger adaptado para as solicitações especiais da AccuPocket é baseada na comprovada tecnologia Active Inverter da Fronius. Um controle inteligente com AccuBoost Technology garante que a bateria e a eletrônica de soldagem se integrem perfeitamente. Na prática, isso significa atingir resultados melhores de soldagem do que com os aparelhos de soldagem de eletrodo comparáveis que funcionam somente conectados a rede elétrica.

As melhorias sensíveis das características de ignição, estabilidade e dinâmica do arco voltaico ocorreram graças à combinação ideal da tecnologia avançada de soldagem e das baterias atuais de alto desempenho no sistema de soldagem AccuPocket 150/400. O acumulador integrado ao sistema é capaz de fornecer para a soldagem corrente de curto-circuito acima da média a curto prazo e, com isso, evita o entupimento dos eletrodos. Ao mesmo tempo, a eletrônica do AccuBoost fornece alta tensão de soldagem no grande desempenho e evita o rompimento do arco voltaico. Com um botão rotativo digital, é possível ajustar de forma contínua os principais parâmetros para a soldagem profissional.

Patente

A Liderroll teve a patente exclusiva do seu Sistema de Roletes Motrizes reconhecida pela China e pelo México, além de já possuir o registro em países como Brasil, Estados Unidos, Canadá e Rússia. A nova conquista abre mais oportunidades para a empresa brasileira, que vem desenvolvendo negociações para iniciar testes em diversas regiões internacionais onde oleodutos e gasodutos sofrem com a variação de temperaturas.

A tecnologia do Sistema de Roletes Motrizes criada pela Liderroll foi utilizada pela primeira vez em 2010, no lançamento de uma linha de 38 polegadas em lance único de 3,8 quilômetros do túnel do Gasduc, sob a Serra dos Gaviões, em Cachoeira de Macacu, que leva o gás da Bacia de Campos até a Reduc, em Duque de Caxias (RJ). Em 2011, a tecnologia foi aperfeiçoada para lançar o Gasoduto do Gastau, de 28 polegadas, no túnel de 5,1 quilômetros sob a Serra do Mar, em São Paulo, onde a Petrobras já contratou a Liderroll para lançar mais duas outras linhas de dutos de oito polegadas, também usando esta tecnologia exclusiva.

 

Plataforma elevatória
A partir de pesquisas e estudos, a equipe de novos projetos da Marksell, empresa dedicada à fabricação de plataformas para movimentação de cargas no Brasil, desenvolveu e projetou a plataforma veicular de aço mais leve do mercado. Com peso comparado às plataformas de alumínio, a MKS 500P3E pesa 237 quilos e tem capacidade de carga de 500 quilos. Indicada para veículos de pequeno porte, a MKS 500P3E pode ser instalada em qualquer modelo de carroceria.

A plataforma possui três cilindros hidráulicos, dois de elevação e um de inclinação. O acionamento padrão é realizado por alavanca e a Marksell também disponibiliza o acionamento por botoeira.

50 anos no Brasil

Fundada em 1964, a Voith Brasil é a unidade do Grupo Voith mais antiga fora da Europa e hoje, considera-se uma empresa brasileira com raízes alemãs. As tecnologias da Voith estão presentes na exploração e transporte de matérias-primas, na geração de energia, na fabricação de papel e celulose, e na mobilidade urbana. Com 142 mil metros quadrados de área construída na cidade de São Paulo, a fábrica brasileira é, atualmente, uma das mais modernas e completas do Grupo Voith em todo o mundo. A empresa ainda possui uma unidade fabril em Manaus com 111 mil metros quadrados, região onde despontam importantes projetos de hidrogeração de energia no país, além de unidades de serviços em Mucuri (BA) e Ponta Grossa (PR), entre outras.

A Voith oferece tecnologias e serviços para a exploração, o transporte e o processamento industrial no segmento de óleo e gás, dentre outros.

Esab

A Esab Welding & Cutting Products anunciou o lançamento da versão 1.2 do Columbus®III, um avançado software de nesting e programação CAD/CAM, otimizado para corte com injeção de água, a laser, com oxicombustível e a plasma. A última versão do Columbus III possui muitos recursos novos e atualizações que tornam a programação mais fácil e eficiente.

A funcionalidade CAD do novo lançamento está aprimorada com uma biblioteca de formas padrão que torna mais fácil e rápida a criação de programas de peças através de uma grande coleção de geometrias de peças predefinidas.

A versão 1.2 do Columbus III permite que as peças sejam importadas de uma montagem existente sem a necessidade de filtros de importação personalizados, proporcionando uma troca de dados mais eficiente do Columbus com o ERP, melhor controle da produção e uma integração mais fácil. A integração com sistemas ERP complexos não é mais um processo de adaptação de alto custo.

O novo software melhora a utilização de retalho com a otimização automática da geometria do corte do retalho no layout existente. Isto simplifica a criação de chapas de retalho, ao mesmo tempo que maximiza a utilização do material.

A versão 1.2 do Columbus III proporciona tecnologias de corte otimizadas com três novas configurações de ponte. Estes padrões únicos permitem o corte contínuo de contornos externos com uma única perfuração e proporcionam melhores vínculos para pontes de uma peça à outra.

Sotreq

A Sotreq, maior revendedora da Caterpillar no Brasil, apresenta suas novas minicarregadeiras Caterpillar da Série D, com destaque para a 242D, com garfo para palete. O portfólio inclui as minicarregadeiras 236D, 246D e 262D. Os equipamentos da Série D têm cabine completamente reprojetada e com novos recursos, como braço de levantamento, que permite melhor visibilidade, e motor com maior desempenho – 8% mais torque em comparação com os modelos anteriores de mesma potência.

Terex

Como parte da estratégia global da Terex Cranes de organização por regiões, a Terex Latin America criou e investiu em uma nova estrutura de negócios para melhorar os serviços e o valor oferecidos aos clientes. Recentemente a Terex Cranes nomeou Herbert Karly como o diretor de Vendas e Suporte a Clientes para o Brasil. Com mais de 25 anos de experiência no setor, Karly já liderou operações em outras multinacionais da indústria. Além disso, a Terex Cranes do Brasil começou a distribuir produtos, peças, serviços e suporte técnico de forma direta e exclusiva, sem um distribuidor intermediário.

Publicidade

Catálogo da Indústria Marítima