Great Ocean

Editorial

Com a proximidade das eleições, está aberta a temporada de caça aos cargos. E com isso, o troca-troca de ministros para acomodar os acordos que garantem tempo maior no horário eleitoral. O PR, do ex-deputado Valdemar Costa Neto, insatisfeito com a atuação do ministro César Borges, impõe a volta de Paulo Sérgio Passos. Borges ganhou a confiança no Planalto, mas não "ajudava" o partido, reclamava Costa Neto. Passos, disciplinado, toca a pasta até o próximo governo. Menos mal que é um técnico de carreira e conhece bem o ministério, o qual comandou em três passagens anteriores. Com exceção da implementação dos sabe-se lá quais planos do PR para a pasta, não representa grande mudança. Aliás, o Ministério dos Transportes deve permanecer com o PR, caso Dilma vença as eleições. Já Borges, o defenestrado do PR, ganha a Secretaria de Portos e sucede a um ministro com perfil técnico e boa aceitação entre as lideranças empresariais. O empresário Gerdau Johannpeter disse mais de uma vez que Antonio Henrique Silveira, que permanece como secretário-executivo na pasta, distingue-se por ser profissional. Com dezenas de projetos de terminais para deslanchar, a Secretaria de Portos é hoje um ministério cobiçado. Precisa da agilidade que o Fundo da Marinha Mercante/MT não teve sob o comando relativamente recente do PR. No mais, tem Copa né?