Porto do Açu

Editorial

O freio de arrumação imposto pela Petrobras refletiu em toda a cadeia de fornecedores e subfornecedores, deixando muitas empresas em situação difícil em 2013. Passada a fase mais crítica, a expectativa é de que em 2014 inúmeros contratos sejam efetivados. No segmento marítimo a ansiedade é grande por conta de várias encomendas de embarcações de apoio ‘offshore’ esperadas para 2013 e que ainda não saíram do papel. Embora muitos digam que os estaleiros brasileiros estão lotados, o fato é que os dedicados à construção de embarcações de serviço veem a ociosidade de suas instalações aumentar a cada mês. Em reportagem à página 30 fornecedores de motores para esse tipo de embarcação avaliam os resultados do ano que passou e comentam sobre o que está por vir este ano.

Já no segmento portuário, o cenário no mercado de dragagem é de indefinição. A segunda etapa do Plano Nacional de Dragagem ainda não deslanchou e não há expectativa de que as grandes obras sejam contratadas rapidamente. Enquanto as empresas brasileiras de dragagem se veem cada vez mais alijadas das disputas por obras de grande vulto, as estrangeiras ampliam sua atuação no mercado brasileiro. O que pensam os principais agentes desse setor é o tema da reportagem à página 08.