Workshop Tomada de decisão - investimento em portos

Sindipetro: Petrobrás confirma que vai fechar sede do Edisp

O Sindicato dos Petroleiros do Estado de São Paulo (Sindipetro) noticia em seu website reunião por videoconferência entre o gerente geral responsável pelo Edise e Edisp. O assunto, a confirmação da notícia publicada no O Globo de que a Petrobras vai fechar o Edisp. A notícia foi publicada no dia 18.

A íntegra da notícia:

"A direção do Sindicato foi surpreendida neste domingo (17) com a notícia, divulgada pelo jornalista Lauro Jardim, do jornal O Globo, de que a Petrobrás vai fechar sua sede administrativa (Edisp), em São Paulo, e realocar os seus 800 funcionários.

Publicidade
Catálogo da Indústria Marítima

 

"Em videoconferência realizada na manhã de hoje com os trabalhadores do Edisp, que contou com a participação do diretor do Unificado Alexandre Castilho, o gerente geral do Compartilhado e responsável pelo Edise e Edisp, Jairo dos Santos Junior, confirmou que a informação é verdadeira.

O gerente comunicou ainda que o prédio será entregue em dezembro. “Há rumores de que a sede deverá estar completamente vazia até o mês de julho”, destacou Castilho.

"O Unificado se mostra indignado com a conduta desrespeitosa da empresa, que falta com a clareza e a verdade dos fatos. É injusto e desleal o empregado saber pela internet que seu local de trabalho será fechado e que ele será transferido sabe-se lá para onde. Falta preocupação por parte da Petrobrás com o bem-estar desses trabalhadores e de suas famílias.

"Burburinho

"Há dias, corre o burburinho da desmobilização do Edisp. No início deste mês, durante a distribuição do Jornal Petroleiros, a direção sindical recebeu vários questionamentos de trabalhadores sobre o assunto e foi informada que as gerências de Segurança e Meio Ambiente do Centro de Serviços Sul-Sudeste e Planejamento e Gestão Administrativa de contratos do Sul-Sudeste já haviam sido comunicadas sobre a transferência compulsória de suas áreas para o Rio de Janeiro, no prazo de 60 dias.

"Em conversa com a administração predial, nesse mesmo dia, os dirigentes foram informados que não existia uma orientação para a saída da Petrobrás e sim um projeto de otimização dos espaços, o que poderia resultar na devolução de mais algum andar do edifício, e não dos sete andares ocupados hoje pela sede.

"Em nenhum momento, a Petrobrás teve a sensibilidade de discutir essa mudança com aqueles que serão os mais afetados ou mesmo de confirmar essas informações ao Sindicato.

"Reunião

"Para buscar esclarecimentos e mais detalhes sobre o processo, o Sindicato solicitou ao gerente geral uma reunião e também a participação no grupo de gestão de mudanças. Segundo Castilho, o gerente disse que vai avaliar essa possibilidade e de que forma a direção do Unificado poderia participar.

Lembramos que em outros momentos de transferência, dos escritórios da Transpetro e Petrobrás, na avenida Paulista, o Sindicato conseguiu, através da organização e negociação, chegar a acordos que consideram a necessidade da empresa e das pessoas."

Fonte: Sindipetro

Comentários