Marintec Navalshore

R$ 3,36 bilhões em projetos

Em sua primeira reunião do ano, CDFMM concede prioridade e cancela pedidos que não entraram em eficácia

Na primeira reunião do ano, o Conselho Diretor do Fundo da Marinha Mercante aprovou prioridades de financiamento que somam R$ 3,36 bilhões. Alterações e cancelamento de projetos também aconteceram no encontro, realizado no último dia 29 de março. Projetos de cabotagem, navegação interior, de apoio marítimo e portuário, além de estaleiros foram contemplados com a prioridade de apoio financeiro.

Uma das principais beneficiadas foi a Transpetro, cujos projetos somam R$ 1,18 bilhão. A companhia recebeu a prioridade para financiar oito embarcações para transporte, sendo seis para produtos claros e duas para escuros. Também foi concedida prioridade de financiamento de igual valor ao Eisa Petro Um para produzir os navios.

Publicidade

Catálogo da Indústria Marítima

 

Ainda no segmento de cabotagem, a Graninter Transportes Marítimos de Granéis fará dois comboios oceânicos, formado cada um por um empurrador de 4,2 mil kw e uma barcaça multipropósito de 17 mil tpb. O valor total do projeto é de R$ 160,78 milhões. Este projeto foi um dos que sofreram alterações. Em reunião realizada em novembro do ano passado, a companhia havia recebido prioridade para construir duas embarcações do tipo multipropósito de 11 mil tpb.

Os projetos de apoio marítimo totalizam R$ 658,87 milhões. A Pancoast Offshore Navegação recebeu prioridade para construir quatro PSVs 4500, cujo investimento é estimado em R$ 394,27 milhões. No valor total de R$ 114,08 milhões, a Baru Offshore Navegação financiará a construção de seis embarcações do tipo UT4000. Quem também fará este mesmo modelo e quantidade de navios é a Senior Navegação. O projeto da empresa, no entanto, é de R$ 108,18 milhões.

Já a Internav Navegação recebeu prioridade de apoio financeiro para a produção de três OSRVs, com valor total de R$ 20,79 milhões. Já a Saga Rebocadores e Serviços Marítimos produzirá dois rebocadores LH3900 no valor estimado de R$ 16,85 milhões. O projeto de duas balsas de convés também foi contemplado com a prioridade e receberá investimentos de R$ 4,67 milhões. A beneficiária foi a Milmares Equipamentos e Serviços Marítimos.

Apenas um projeto de apoio portuário teve prioridade concedida. A Camorim Serviços Marítimos fará três rebocadores azimutais de 65 TTE no valor de R$ 44,65 milhões.

No segmento de navegação interior, três projetos de duas empresas receberam prioridade de apoio financeiro. A Matapi Logística Navegação financiará a construção de quatro balsas carreteiras no valor de R$ 12,11 milhões. A LN Guerra Logística e Serviços de Locação de Máquinas teve dois projetos aprovados com a prioridade. Um deles prevê a construção de um empurrador fluvial, cujo valor é estimado em R$ 2,44 milhões. A companhia também fará duas balsas fluviais para carga geral. O projeto contabiliza investimentos de R$ 8,70 milhões.

 

Para estaleiros, o CDFMM concedeu prioridade de apoio financeiro para a modernização de um parque e construção de outros dois. A Atlântica Navegação e Logística modernizará o estaleiro Atlântico Norte, localizado em Belém, no Pará. O valor total do projeto é de R$ 75,76 milhões. A Oxnaval Manutenção e Construção de Embarcações foi contemplada com a aprovação da prioridade para construir o estaleiro Oxnaval. O projeto dessa unidade, que será instalada no município de Pelotas, no Rio Grande do Sul, é de R$ 12,18 milhões. No Amazonas, a Hermasa Navegação da Amazônia foi beneficiada com apoio financeiro para a instalação de um estaleiro de reparo naval. O projeto está estimado em R$ 32,446 milhões.

O CDFMM também alterou as prioridades de apoio financeiro do Fundo da Marinha Mercante para seis empresas. Uma das modificações foi relacionada ao beneficiário do financiamento. O projeto de dois empurradores fluviais de 3000 BHP, seis de 4500 BHP, 62 balsas graneleiras Box e 68 graneleiras Racked, da Hidrovias do Brasil, por exemplo, passou para a Hidrovias do Brasil - Navegação Norte.

Já o financiamento do projeto para implantação de um estaleiro no município de Ipojuca, em Pernambuco, foi transferido da Construcap CCPS Engenharia e Comércio para a CMO Construção e Montagem Offshore. A Cianport – Companhia Norte de Navegação e Portos é a nova beneficiária do financiamento dos projetos de construção de dois empurradores fluviais de 3,2 mil BHP, oito balsas graneleiras Box de 2,8 mil tpb e 16 graneleiras Racked de 2,7 mil tpb. Anteriormente, o financiamento seria concedido à Fiagril.

O CDFMM também alterou o valor priorizado. Foi o caso da Saga Rebocadores e Serviços Marítimos. Na reunião do CDFMM de maio do ano passado, a companhia obteve prioridade no valor de R$ 8,51 milhões para a construção de dois LH 3000. Agora, o novo valor passou para R$ 16,85 milhões.

A Graninter Transportes Marítimos de Granéis teve o projeto de duas embarcações do tipo multipropósito de 11 mil tpb alterado para dois comboios oceânicos, formado cada um por um empurrador de 4,2 mil kw e uma barcaça multipropósito de 17 mil tpb, com valor total do projeto de R$ 160,78 milhões. O primeiro projeto, que havia sido aprovado na reunião de novembro do ano passado, custava cerca de R$ 144,70 milhões. O CDFMM também alterou a prioridade concedida à Companhia Brasileira de Offshore para a construção de sete PSVs 3000, que somam R$ 484,16 milhões, e de nove PSVs 4500, no valor total de R$ 897,55 milhões, contabilizando um financiamento total de R$ 1,381 bilhão.

A Wilson Sons Estaleiros teve alterado o escopo para a construção da segunda unidade do estaleiro localizado no município do Guarujá, em São Paulo, mas sem alteração do valor firmado com o Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em março do ano passado.

 

Durante a reunião, o Conselho cancelou ainda quatro prioridades. Um deles foi o projeto de construção do estaleiro de reparo naval da Hermasa, que havia sido concedido na reunião realizada em dezembro de 2009. A companhia, no entanto, conseguiu nova prioridade para a implantação do parque. O mesmo caso aconteceu com a Senior Navegação, cuja prioridade para construir seis embarcações tipo UT 4000 foi cancelada, e novamente aprovada. A CBO teve anulada a prioridade para a modernização de três embarcações do tipo Classe M – CBO Macaé, CBO Magé e CBO Maricá, que foi aprovada durante o encontro ocorrido em maio do ano passado. Desta mesma reunião foi cancelado o projeto do estaleiro Promar, que iria produzir um PSV 09 CD – NOD425 – 4700 TDW.

A próxima reunião do CDFMM está programada para o próximo dia 4 de julho. Segundo o Ministério dos Transportes, os postulantes a financiamentos devem apresentar seus projetos até o dia 4 de maio.  n

Marintec Navalshore

Assine Portos e Navios

Consórcio Águas Azuis fundo transp Syndarma
  Envie uma pauta    

  Assine Portos e Navios

 

 

  Antaq

 

Tche Digital

 

 

Sobena

 

Sinaval   Abratec
Publicidade

Catálogo da Indústria Marítima