Technomar

Mais um estaleiro

 

Licitação para revitalização do estaleiro Inhaúma está no último estágio. Obras devem começar em breve

Está na reta final o processo licitatório aberto pela Petrobras que visa contratar empresa para execução das obras de revitalização da infraestrutura do estaleiro Inhaúma. A revitalização compreende a recuperação das instalações do Cais 1 para a atracação de navios, a reforma dos prédios administrativos, cozinha, refeitórios industriais e portaria, bem como a recomposição dos sistemas de infraestrutura (guindastes industriais, sistemas elétricos, água potável, esgotamento sanitário, drenagem pluvial, tratamento de águas residuais, combate a incêndio, ar comprimido, gases industriais, pavimentação, paisagismo e cercamento).

Publicidade
Catálogo da Indústria Marítima

 

Os galpões marcados em amarelo serão utilizados pela empresa ou consórcio vencedor da licitação para conversão dos quatro FPSOs. A Petrobras não executará nenhuma reforma nesses galpões. Faz parte do contrato de conversão a revitalização de toda aquela região, que inclui: as oficinas 3 e 4 [na parte superior da figura] e o galpão 58-A [no centro à direita]. O prédio 63 [no centro à esquerda], também pintado de amarelo, foi parcialmente reformado pela Petrobras e está sendo usado como escritório para apoio às obras. Ele será entregue ao vencedor da licitação para conclusão da reforma. A   previsão da Petrobras para conclusão da licitação da conversão é junho do próximo ano.

O dique 2, pintado de vermelho [no centro à direita da figura], está sendo reformado. A empresa Carioca Christiani Nielsen Engenharia é responsável pela recuperação da estrutura de concreto do novo sistema de arraste de navios para manobras de entrada e saída do dique. O contrato foi assinado em junho, com prazo de 320 dias para execução.

A porta-batel foi totalmente reformada pela Petrobras, por meio de contrato com a empresa Enaval. Devido ao seu avançado estado de corrosão, a obra foi realizada utilizando-se o acabamento avançado para redução do prazo. Toda a parte superior foi substituída. Enquanto ela era construída na Usiminas Mecânica, em Ipatinga (MG), a parte inferior era reparada no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro.

A casa de bombas do dique 2 será totalmente reparada após o esvaziamento do dique. A Petrobras fará uma licitação para contratar uma empresa para realização desta obra.

A Concremat iniciará as inspeções de delineamento dos reparos necessários nas estruturas dos galpões pintados de vermelho e identificados como "área de apoio às obras de reparo e construção" e "almoxarifado S-19".

A Insulcast está recuperando o prédio 60, pintado de vermelho [na figura] e identificado como "escritório e almoxarifado S-2 e vestiário", cuja previsão de conclusão é fevereiro de 2012.

Segundo o gerente executivo de exploração e produção do pré-sal da Petrobras, José Formigli, informou em agosto, as obras de reforma do estaleiro Inhaúma devem estar concluídas no meio do ano que vem e a conversão dos quatro FPSOs será iniciada em agosto ou setembro.  Ele afirmou ainda que durante o processo de reforma a empresa vai licitar a construção dos módulos e do sistema de integração das embarcações, que deverão estar prontas em 2015. A conversão dos cascos devem durar cerca de 36 meses.

A previsão da Petrobras é que as obras de conversão do primeiro casco comece em junho de 2012. Durante a reforma do estaleiro Inhaúma a estatal licitará os módulos de integração. O primeiro FPSO ficará pronto em outubro de 2015 e o quarto, em dezembro de 2016.

Em outubro do ano passado, a Petrobras arrendou a área industrial do dique seco de 160 metros de comprimento do antigo estaleiro Ishikawajima para realizar a conversão de cascos de navios em plataformas no Brasil. A área pertence à Companhia Brasileira de Diques (CBD) e foi arrendada pelo prazo de 20 anos.                                            n

 

Comentários

ABB

Assine Portos e Navios

Pesa

Syndarma

OTC Brasil

Tche Digital

Assine Portos e Navios

Aapa

ABTP

Sobena

Sinaval Abratec