Sem garantia de novas encomendas, o Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em Ipojuca (PE), deve demitir 500 funcionários nesta quarta-feira. Somente neste mês, já foram 800 desligamentos na empresa, que deve encerrar o ano com cerca de 2.100 funcionários.

Em setembro, o EAS firmou dois memorandos de entendimento - um deles com a Maersk - que lhe garantiriam mais quatro encomendas e sobrevida de pelo menos mais dois anos. As definições sobre o acordo, no entanto, estão demorando mais do que o previsto forçando o EAS a fazer ajustes no quadro de funcionários agora.

Para se concretizarem, os memorandos dependem da uma complexa estrutura de financiamento, que inclui a disponibilização recursos do Fundo da Marinha Mercante para garantia de empréstimos que seriam concedidos por bancos privados, como o Credit Suisse. A previsão é que as definições sobre isso saiam em janeiro.

 

Se não conseguir novos compradores de embarcações, o EAS, que pertence aos grupos Queiróz Galvão e Camargo Corrêa, deve fechar as portas em meados do próximo ano.

Fonte: Valor

Comentários

Cash Computadores

Messe Munchen

Suatrans

Syndarma

ABTP

Abac

Tche Digital

TMSA

Assine Portos e Navios

ABTP

Sobena

Fenavega Abratec

 

Ecobrasil