Empréstimo de fundo deve acelerar obras de polo naval

Financiamento de R$ 230 milhões para a construção do Estaleiro Rio Grande 2 é aprovado A liberação de R$ 230 milhões de recursos para financiamento do Estaleiro Rio Grande 2, aprovada ontem no Rio de Janeiro pelo Fundo de Marinha Mercante, promete acelerar o projeto de implantação do polo naval gaúcho, em Rio Grande. A previsão é de que as obras dessa nova etapa possam ter início até abril do próximo ano. A cargo das obras do dique seco e empreendedora do estaleiro 2, a WTorre havia encaminhado solicitação de R$ 330 milhões. O valor incluía o Estaleiro Rio Grande 3, ainda não contemplado na soma que será emprestada. O presidente da empresa, Walter Torre Jr., afirmou a Zero Hora que a liberação do recurso foi uma grata surpresa: – Aguardávamos pelo financiamento há bastante tempo e estávamos meio descrentes que chegaria. Isso vai acelerar a implantação do projeto do polo naval, reduzindo pela metade o seu tempo de implementação. Torre Jr. também acredita que os recursos permitirão uma sobra a ser usada na implementação do Estaleiro 3, uma área industrial focada no fornecimento de infraestrutura para empresas da região na prestação de serviços e materiais. O otimismo se estende à finalização do dique seco – que será arredando pela WTorre à Petrobras. A expectativa da empresa é de que, até metade de janeiro, as principais etapas estejam concluídas e até meados de fevereiro possa estar todo finalizado. A mão de obra hoje empregada no dique seco passaria, então, a trabalhar no estaleiro 2. Mas as obras devem envolver, ainda, conforme Torre Jr., novas contratações a partir de março ou abril do próximo ano. A obra do Estaleiro 2 é um dos projetos a serem beneficiados pelo financiamento de R$ 14,2 bilhões, ao longo dos próximos quatro anos, aprovados pelo Fundo de Marinha Mercante. O recurso é o maior já liberado pelo órgão de uma só vez. No total, foram aprovadas 161 propostas das 164 apresentadas – 155 tratam da construção de embarcações e seis da construção e modernização de estaleiros. (fonte: Zero Hora)