Porto do Açu

Dragão do mar

Navio deixa dique seco do EAS e entra em fase de acabamento, com previsão de operação em dezembro

O Estaleiro Atlântico Sul (EAS) lançou oficialmente ao mar o navio petroleiro suezmax Dragão do Mar, em cerimônia na qual a embarcação deixou o dique seco com destino ao cais de acabamento. A operação foi realizada em 23 de agosto. “Estamos trabalhando forte e constantemente para aprimorar nossos processos e acabamentos e o Dragão do Mar é mais um passo que damos neste sentido. Todas as encomendas do EAS estão enquadradas nas exigências de conteúdo nacional. Este é mais um grande ganho para o país”, disse no lançamento o presidente do EAS, Otoniel Silva Reis.

O Dragão do Mar faz parte do pacote de encomendas do Promef ao EAS. Seu lançamento marca tanto a consolidação da atuação do Estaleiro Atlântico Sul no setor naval brasileiro, após cinco anos de intensas atividades, como um importante passo em seu processo de amadurecimento: o início da construção simultânea de embarcações, como navios petroleiros e navios-sondas (drillships).


Logcomex


Atualmente, o EAS está produzindo seis embarcações simultâneas. Além do Dragão do Mar (que entra na fase de acabamento), estão sendo construídos os petroleiros Suezmax do Promef C-004 (cujo processo de construção está em 57%); C-005 (em fase de montagem de blocos); e C-006 (em fase de fabricação de blocos). Estão sendo montadas ainda, conforme encomenda da Sete Brasil, os primeiros navios-sondas construídos no Brasil. Os drillships 1 e 2 tiveram os primeiros cortes de chapas realizados, respectivamente, em março e julho deste ano.

Batizado em homenagem ao marinheiro e herói abolicionista cearense Francisco José do Nascimento, que entrou para a história como Dragão do Mar, o terceiro navio produzido no EAS entra agora numa fase que envolve o acabamento propriamente dito, a pintura da embarcação e testes. Esta é a fase que antecede a prova de mar e a entrada em operação do navio, programada para dezembro. Com a saída do Dragão do Mar, o petroleito Suezmax C-004 entra no dique seco.

O Dragão do Mar possui mais de 274 metros de comprimento e 48 metros de largura (boca moldada). Quando entrar em operação, terá porte bruto de 157,7 mil toneladas e capacidade para transportar um milhão de barris, mais de 45% da produção diária de petróleo do país. O navio consumiu 21 mil toneladas de aço em sua construção e terá as dimensões máximas para a passagem pelo Canal de Suez, que liga os mares Vermelho e Mediterrâneo. Em termos de desempenho, o Dragão do Mar terá autonomia de 20 mil milhas náuticas, o que permitirá que ele complete uma volta ao mundo sem a necessidade de parar para abastecer.

Com o início das operações do Dragão do Mar, o Estaleiro Atlântico Sul irá totalizar a entrega de três navios petroleiros Suezmax, todos em conformidade com os padrões internacionais de qualidade da indústria naval. Além do João Cândido e do Zumbi dos Palmares, o EAS já entregou o lower hull (parte inferior do casco) da plataforma de produção semissubmersível P-55, da Petrobras.

 

Priner     Terlogs     Mampaey     AAPA
             

Tche Digital

 

 

Sinaval

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios