Great Ocean

Conteúdo local

Sinaval organiza novo comitê para estimular inclusão de produtos produzidos no Brasil para a indústria de construção naval e ‘offshore
O Sindicato Nacional da Indústria de Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval) continua trabalhando para aumentar o índice de conteúdo local das construções realizadas no país. A entidade criou recentemente o Comitê Equip Shore, que vai tentar ampliar a nacionalização de máquinas, equipamentos eletroeletônicos, tubos e assessórios de metal nas plataformas construídas no país.
Segundo Franco Papini, vice-presidente do Sinaval, o grupo recém-criado está fazendo um levantamento de dados para sintetizar quais são as demandas dos construtores de plataformas. O comitê quer elaborar uma listagem com todos os itens necessários para a construção de plataformas e, em seguida, classificar, de acordo com a visão dos construtores, o que é passível de ser adquirido no Brasil e o que precisa ser importado. Em seguida, o Sinaval irá se reunir com representantes das principais associações de classe — Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq); Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee); e Associação Brasileira da Indústria de Tubos e Acessórios de Metal (Abitam) — e apresentar os dados levantados. Papini revela que a planilha já está quase pronta.
O vice-presidente do Sinaval explica que o Equip Shore é uma espécie de Comitê de Navipeças com foco na construção de plataformas. O Comitê de Navipeças do Sinaval funciona desde outubro de 2008 e, em junho deste ano, fez uma pequena reunião com as associações de classe para apresentar a planilha que listava os itens necessários para a construção dos 49 petroleiros previstos no Programa de Renovação e Expansão da Frota (Promef) e dos 146 navios de apoio marítimo anunciados pela Petrobras. As associações de classe receberam a planilha do Comitê de Navipeças e já estão entregando ao Sinaval suas contribuições e sugestões sobre o material. Segundo Papini, a Abitam e a Abinee entregaram suas considerações, já a Abimaq prometeu entregar sua avaliação ainda em agosto.
A planilha do Comitê de Navipeças considera os seguintes grupos de material e equipamentos: estrutura (aço estrutural, perfis e bulbo); máquinas (motores, compressores e bombas); redes e tubulações (tubulações de aço e cobre e válvulas); eletricidade (redes, cabos, painéis de controle); acessórios de casco; materiais de acabamento; e materiais de tratamento e pintura. Quando a Abinee, Abimaq e Abitam receberem a planilha preparada pelo Comitê Equip Shore, elas terão que analisar a listagem relativa às plataformas e encaminhar seus pareceres ao comitê, assim como fizeram no Comitê de Navipeças. A última etapa a ser cumprida pelos dois comitês será consolidar as considerações das associações de classe e definir as especificações dos itens que deverão ser fornecidos. Com isto definido, os fornecedores já poderão preparar suas propostas técnico-comerciais e torcer pela inclusão.

 

    Terlogs     Mampaey     AAPA
             

Tche Digital

 

 

HPP

 

  Sinaval   Assine Portos e Navios