O governo leiloou três dos quatro blocos ofertados na 4ª rodada do pré-sal, realizada nesta quinta-feira no Rio. Segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), os blocos gerarão R$ 738 milhões em investimentos, ainda na fase de exploração. O ágio médio ficou em 202,3%. Ainda de acordo com a autarquia, as operações nas áreas ofertadas gerarão R$ 40 bilhões em arrecadação para os cofres públicos. O certame ocorreu em um momento turbulento para o setor, diante da crise dos preços de combustíveis no país. Ao todo, 16 empresas estavam inscritas, das quais 11 apresentaram propostas para pelo menos uma das áreas ofertadas.

UIRAPURU

Foi o bloco mais disputado do dia, abrindo a rodada. Quatro consórcios ofereceram propostas pela área localizada na Bacia de Santos. Levou um consórcio formado pela portuguesa Petrogal (14%), Statoil (28%) e ExxonMobil (28%), com uma proposta de repassar 75,49% do lucro obtido no projeto à União, o chamado óleo-lucro, critério que define o vencedor. A disputa causou uma situação inédita nas rodadas do pré-sal: a Petrobras, que havia pedido o direito de preferência, estava em um dos grupos perdedores e precisou decidir se entraria no grupo ou não, como prevê o regulamento do edital. Acabou decidindo participar, entrando com 30% de participação e se tornando a operadora do bloco. O bônus fixo de Uirapuru é de R$ 2,65 bilhões.

 

No consórcio que liderou, a Petrobras tinha 45% de participação, ao lado de Total e BP. O grupo ofereceu 72,45% de óleo-lucro. Em terceiro lugar ficou o consórcio liderado por Shell ao lado da QPI, do Catar, e Chevron, que ofereceu 72,05% de repasse. As chinesas CNODC e CNOOC apresentaram a pior proposta, 68,15%.

DOIS IRMÃOS

Segundo bloco ofertado, foi o menos disputado da manhã. Só a Petrobras, que liderou com 45% um consórcio formado ainda por Statoil e BP, apresentou uma oferta pela área, também na Bacia de Santos. A proposta foi de 16,43% de óleo-lucro, o mínimo previsto em edital. O bônus fixo é de R$ 400 milhões.

TRÊS MARIAS

A disputa marcou mais um momento em que a Petrobras precisou exercer o direito de preferência, dessa vez com uma decisão, em tese, mais difícil. O óleo-lucro mínimo exigido em edital era de 8,32%. O consórcio liderado pela estatal brasileira (ao lado de Total e BP), ofereceu 18%, quase o dobro. Mas foi superado pelo grupo formado por Chevron e Shell, que ofertou repasse de 49,95%, um ágio de mais de 500%. Diante da disputa, a Petrobras precisou decidir se exercia ou não seu direito de preferência. Acabou optando por entrar no consórcio, com 30% de participação. O bônus por Três Marias é de R$ 100 milhões.

ITAIMBEZINHO

O bloco, na Bacia de Campos, era o menos atraente do dia e não recebeu nenhuma proposta. Como tinha bônus previsto de R$ 50 milhões, a arrecadação total em bônus da quarta rodada ficou em R$ 3,15 bilhões, pouco menos que os R$ 3,2 bilhões previstos.

Fonte: O Globo

Comentários