Marintec Navalshore

Aposta no conteúdo local

Caterpillar começa a fabricar grupos geradores e sistemas de propulsão diesel-elétricos no Brasil com índice de nacionalização de 60%

A Caterpillar Brasil começa a produzir no país os grupos geradores da série 3500C nas faixas de 1360 ekW a 2250 ekW, para propulsão diesel-elétrica e geração de energia auxiliar, com objetivo de ampliar o atendimento aos clientes do segmento marítimo e de petróleo. Os motores serão fabricados na unidade de Piracicaba (SP) a partir de setembro deste ano, e terão índice de conteúdo nacional acima de 60%.

A nacionalização dos motores faz parte dos investimentos da companhia no Brasil, que somam R$ 350 milhões (US$ 200 milhões), aplicados entre 2011 e 2012, e incluem a compra e adaptações de uma antiga unidade industrial em Campo Largo (PR). As linhas de produção de três modelos com características de montagem menos verticalizada, como retroescavadeiras e carregadeiras de pequeno porte, serão deslocadas para a nova planta, abrindo espaço para expansão da unidade de Piracicaba, onde serão fabricados os cinco modelos diferentes dos grupos geradores da série 3500C.


Catálogo da Indústria Marítima


Os grupos geradores da série 3500C são utilizados em embarcações como rebocadores, cargueiros e em aplicações offshore. Segundo a empresa, não existem modelos semelhantes aos da série 3500C fabricados no Brasil com o mesmo índice de nacionalização, por isso o potencial de clientes inclui todos os estaleiros e armadores brasileiros. Estes grupos de geradores eram construídos em Indiana (EUA) e a Caterpillar estima já ter vendido mais mil unidades no Brasil.

O presidente da Caterpillar Brasil, Luiz Carlos Calil, destaca que a decisão de fabricar no país foi apoiada no crescimento da demanda local e nas oportunidades que o setor apresenta para os próximos anos, particularmente agora que o Brasil está investindo nas reservas do pré-sal. “A Caterpillar procura sempre investir a partir do momento que determinada demanda amadurece em uma região. Este é o caso atual do grupo gerador 3500. Além da oportunidade normal oferecida pelo crescimento da nossa economia, há as grandes oportunidades com a exploração do pré-sal”, avalia Calil.

O executivo destaca que a decisão de fabricar o equipamento no Brasil foi tomada a partir do momento que se alcançou o índice de conteúdo nacional de no mínimo 60%, certificados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Calil afirma que o índice de nacionalização pode aumentar nos próximos anos de acordo com a resposta da demanda do mercado.

“Fazemos investimentos com a perspectiva de prestigiar a economia local. Com a produção do grupo de geradores da série 3500, vamos ajudar a desenvolver a cadeia nacional, assim como atrair fornecedores internacionais para o Brasil. Estamos estimulando essas empresas estrangeiras para virem ao país, já sabemos de oito ou dez que têm esse interesse e tenho certeza de que pelo menos três ou quatro desses vão vingar”, aposta Calil.

A linha nacional de produtos da Caterpillar é composta de 40 diferentes modelos de máquinas, entre escavadeiras hidráulicas, compactadores, carregadeiras de rodas, motoniveladoras, retroescavadeiras e tratores de esteiras. A empresa produz também grupos geradores nas faixas de 32 a 750 kVA, ferramentas e acessórios especiais para seus equipamentos.

O vice-presidente mundial para os setores de petróleo, gás e produtos da área marítima da Caterpillar, Richard Case, explica que a necessidade por equipamentos com potências confiáveis para o segmento offshore em aplicações marítimas e de petróleo acompanhará o crescimento da exploração das reservas de petróleo do Brasil. “Estamos investindo no Brasil pensando nos próximos 20 anos de mercado. Inicialmente, olhamos apenas para a demanda local, mas, como o Brasil será nosso segundo maior mercado, começamos a ver oportunidades para no futuro exportar a produção nacional”, afirma Case.


Marintec Navalshore