A conclusão chave da “Riviera Maritime Media’s CO2 Shipping Conference”, ocorrida em Londres, é que a captura e armazenamento de carbono (carbon capture and storage - CCS) emitido por navios deve, de fato, ser viabilizado. Os 100 representantes de 17 países que participaram do evento foram também alertados de que já que a demanda pelo transporte e armazenamento de CO2 cresce ininterruptamente, ainda não seja possível saber exatamente quando o carregamento desse novo gás passará a responder por quantidades significativas.

Os desafios que devem ser superados antes da implantação de um modelo comercial seguro de navegação baseado nos parâmetros do CCS requer um estudo  minucioso. Tal projeção deve não só contemplar os passos a serem dados, mas também as circunstâncias sobre as quais os especialistas estudam soluções com os projetos.

Os projetos de CCS exercerão um papel chave nos esforços para reduzir o aumento das concentrações de CO2 e na diminuição do efeito estufa ao longo das próximas décadas. Os projetos de CCS têm o poder de reduzir em até 20% a emissão de CO2, que atualmente chega a 28 bilhões de toneladas por ano.

 

O continente europeu está cotato como líder do processo de adoção dos métodos CCS. A União Europeia está comprometida a apoiar 12 projetos integrados de CCS — de amplo alcance — até 2015. Isto, através de um pacote financeiro principal que viabilizará o capital e contará com medidas regulatórias apropriadas.