O Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe (ITPS) – Órgão Delegado do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) vai iniciar a fiscalização dos computadores medidores de vazão instalados em plataformas marítimas, usinas de álcool, poços de petróleo e distribuidoras de combustível instalados em Sergipe.

Essa ação atende a uma determinação do Inmetro, que convocou seis dos maiores estados produtores de petróleo do país (Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, Amazonas, Bahia e Sergipe) para atuar em parceria com a Agência Nacional de Petróleo (ANP) no controle da produção nacional.

Fiscais do Inmetro em vários estados vão fazer a verificação dos computadores medidores de vazão. Esses equipamentos registram e informam a quantidade de petróleo produzida nas plataformas e nos locais de produção em terra, assim como o volume gerado nas distribuidoras de combustível.

 

“Essa fiscalização visa garantir a correta medição dos volumes de petróleo e gás natural e a integridade destes dados. Nas áreas de distribuição os medidores atuam como grandes bombas de combustível que calculam o valor do volume comercializado. Já nas áreas de produção o instrumento indica e transmite (para a ANP) a quantidade diária produzida. Sobre essa quantidade incidem cálculos de royalties, e por isso, a relevância de verificar o funcionamento correto desses equipamentos”, explica o gerente executivo de metrologia e qualidade do ITPS, Moater Paulon.

A etapa inicial do processo de deflagração das fiscalizações envolve a capacitação dos agentes fiscais. A primeira ação ocorreu em março, durante o Encontro Nacional do Inmetro em Vitória-ES, quando os fiscais participaram de palestras com representantes da Agência Nacional de Petróleo, Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), do Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem/SP) e do Inmetro. Nos próximos meses, os fiscais passarão por capacitações técnicas para verificação do equipamento e também por cursos de segurança em plataformas, conforme exigidos pelas empresas petrolíferas. A partir dessa fase, as equipes do ITPS iniciarão as fiscalizações, mantendo um calendário de ações em acordo com a ANP.

Para o diretor-presidente do ITPS, Léo Araújo, a fiscalização nos campos marítimos e terrestres de produção de petróleo e gás consolida a importância do convênio ITPS/Inmetro para a economia de Sergipe. “Esse novo tipo de fiscalização amplia a atuação do ITPS e consolida a importância do convênio com o Inmetro para realização das atividades de verificação metrológica e o desenvolvimento socioeconômico de Sergipe”, destaca.

Petróleo e gás em SE

Uma análise realizada pelo Boletim Sergipe Econômico, parceria do Núcleo de Informações Econômicas (NIE) da Federação das Indústrias do Estado de Sergipe (FIES) e do Departamento de Economia da UFS, com base nos dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), mostrou que a produção de petróleo no estado, em 2017, atingiu 8,7 milhões bep. Deste total, aproximadamente 1,9 milhão de barris, ou 22,4%, foram extraídos do mar.

Já a produção de gás natural, ficou em aproximadamente 5,1 milhões de barris equivalentes de petróleo (bep). A produção em mar continuou sendo a principal fonte de produção, somando mais de 4,8 milhões de barris, abrangendo 93,8% do total produzido em Sergipe, ao longo de 2017.

Fonte: ITPS