O Ibama emitiu ontem licença de operação para as atividades da plataforma P-66, da Petrobras, situada no campo de Lula Sul, no pré-sal da Bacia de Santos. A unidade já está instalada no local e aguardava apenas o aval do órgão ambiental para iniciar a produção no campo. A plataforma tem capacidade para produzir 150 mil barris diários de petróleo e 6 milhões de metros cúbicos diários de gás natural.

A emissão da licença foi antecipada na manhã de ontem pelo Valor PRO, serviço de informações em tempo real, do Valor.

De acordo com o plano de negócios da Petrobras para o período 2017-2021, a P-66 estava prevista para iniciar a produção no primeiro trimestre deste ano. O processo, porém, foi adiado devido à demora na emissão da licença ambiental.


Na última semana, a diretora de Exploração e Produção (E&P) da Petrobras, Solange Guedes, havia dito que aguardava apenas a licença para iniciar a produção da unidade. "Em breve teremos essa autorização para ir em frente", disse ela, na ocasião.

De acordo com informações do Ibama, no entanto, o requerimento para a emissão da licença foi protocolado no órgão em 28 de dezembro de 2016 e o prazo legal para a conclusão das análises, de seis meses, terminaria em 28 de junho. "Durante esse período, o Ibama fez uma série de exigências, que foram atendidas pela empresa", acrescentou o Ibama, em nota.

O órgão estabeleceu 36 condicionantes a serem cumpridas para a operação da plataforma. Entre elas está a elaboração de um plano de gerenciamento do projeto de monitoramento da atividade pesqueira na Bacia de Santos.

Mesmo com o adiamento do início de operação da P-66, a Petrobras mantém a sua meta de produção de petróleo em campos nacionais para este ano, fixada em 2,07 milhões de barris diários, inferior a marca traçada para o ano passado, de 2,145 milhões de barris diários.

A P-66 é a primeira das quatro unidades da Petrobras previstas para iniciar a produção neste ano. A próxima plataforma prevista para entrar em operação, em julho, é a unidade responsável pelo teste de longa duração (TLD) do campo de Libra, no pré-sal da Bacia de Santos.

Também estão previstos o início de operação da P-67 e do FPSO Campos dos Goytacazes este ano.

Fonte: Valor