O navio-plataforma P-66 deixou no último sábado (04/02) o Estaleiro Brasfels, em Angra dos Reis (RJ), rumo à locação. A P-66, que ficará instalada no campo de Lula, módulo de Lula Sul, no pré-sal da Bacia de Santos, deve chegar ao campo nos próximos dias. O início da operação do sistema de produção conectado à unidade ocorrerá após os trabalhos de ancoragem e de interligação do primeiro poço produtor.

Tem destaque o fato da P-66 ser o primeiro FPSO próprio do Consórcio de Lula a ser instalado no Pólo Pré-Sal da Bacia de Santos. Sua integração foi concluída no Estaleiro Brasfels em Angra dos Reis, onde também ocorreram os testes dos equipamentos e sistemas. FPSO (Floating Production Storage Offloading Unit) é a sigla em inglês que identifica uma unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de óleo.

A P-66 terá a função de separar o óleo do gás e da água durante o processo de produção, armazená-lo nos tanques de carga para, finalmente, transferi-lo para navios petroleiros, que serão os responsáveis pelo seu transporte. A unidade produzirá através de dez poços produtores e oito poços injetores e terá capacidade para processar 150 mil barris de óleo por dia (bpd) e 6 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia.


O campo de Lula está localizado na concessão BM-S-11, operada pela Petrobras (65%), em parceria com a BG E&P Brasil – companhia subsidiária da Royal Dutch Shell plc (25%) - e com a Petrogal Brasil (10%).

Dados da P-66:

Processamento de óleo: 150 mil barris/dia;

Tratamento e compressão de gás: 6 milhões de m³/dia;

Tratamento de água de injeção: 181,1 mil barris/dia;

Capacidade de armazenamento: 1,67 milhão de barris de óleo;

Ancoragem em profundidade d’água: 2.200 metros;

Comprimento total: 288 metros;

Boca (largura): 54 metros;

Pontal (altura): 31,5 metros.

Fonte: Petrobras