As exportações brasileiras de carne suína (in natura e processada) chegaram a 63 mil toneladas em outubro, aumento de 8,1% ante o mesmo mês de 2017, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex/Mdic) compilados pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Em receita, contudo, houve queda de 20,1% na comparação, para US$ 108,1 milhões.

Mesmo com a reação dos volumes vendidos, nos dez primeiros meses do ano os embarques somaram 530,5 mil toneladas, ainda 10% menos que em igual intervalo do ano passado. E a queda da receita chegou a 27,7%, para US$ 1 bilhão.

De acordo com a ABPA, Hong Kong continou como principal destino das exportações de carne suína do Brasil no acumulado do ano - 137 mil toneladas importadas, aumento de 8% na comparação anual. Para a China o incremento foi de 243% na comparação, para 131,1 mil toneladas.

 

“Além do bom desempenho nos mercados da Ásia, África e América do Sul, os próximos números das exportações de carne suína deverão ser influenciados, também, pela reabertura do mercado da Rússia, ocorrida no primeiro dia de novembro. Embora sejam clientes tradicionais do setor produtivo, os importadores russos deverão voltar com níveis de demanda semelhantes ao de um novo destino de exportação”, afirmou Francisco Turra, presidente da ABPA, em nota.

Fonte: Valor

Comentários


Schottel



Syndarma

ABTP

Antaq

TMSA

Assine Portos e Navios

Abeam

Sobena

Terra Firma Abratec