As vendas antecipadas de soja da safra 2018/19 no Brasil, cuja colheita pode começar ainda este mês em algumas áreas, avançaram para 30,3% da produção estimada até a última semana, informou a Datagro nesta quarta-feira (12).

Embora a comercialização esteja à frente dos 26% reportados em dezembro de 2017, ficam levemente atrás dos 31,6 por cento da média para o período e bem atrás dos 45,5 por cento de recorde em 2015, destacou a consultoria.

"A esperada queda nos preços aconteceu de forma geral, mantendo frouxo o interesse de venda pelos produtores e escasseando os negócios", afirmou em nota o analista de grãos da Datagro, Flávio França Jr.

 

Em relação à temporada 2017/18, já encerrada, as vendas chegam a 95%, ante 90% há um ano.

Maior exportador mundial de soja em grão, o Brasil deve produzir um recorde de 124,66 milhões de toneladas da commodity no atual ciclo, conforme previsão da consultoria.

A estimativa da Datagro, por sinal, foi a mais otimista em uma pesquisa da Reuters divulgada no fim do mês passado.

Com as lavouras se desenvolvendo bem, a tendência é de que alguma colheita ocorra já nos próximos dias, em especial em Mato Grosso, maior produtor nacional, graças a um plantio antecipado em muitas regiões do país.

Por lá, o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) destacou que os sojicultores já comercializaram antecipadamente 41,33% da produção local, um avanço mensal de 5,59 pontos.

"Este progresso é reflexo da aproximação da colheita da nova safra, seja para liberar espaço nos armazéns, quanto para a garantia de preços. Dessa forma, este último mês foi marcado por movimentações nos principais 'drives' de formação de preços, principalmente da queda nos prêmios de exportação nos portos brasileiros", destacou o Imea em boletim.

Milho

A Datagro destacou também nesta quarta-feira que as vendas da primeira safra de milho 2018, colhida no último verão, alcançaram 94 por cento da produção obtida, ante 90% em dezembro do ano passado.

"A lentidão nas negociações da temporada está ligada diretamente à expectativa de melhora ainda maior no padrão de preços por parte dos produtores", comentou França Jr.

Já em relação à segunda safra de milho, colhida no inverno deste ano, as negociações chegam a 82% da produção esperada, bem acima do percentual de 78% observado no ano passado, mas ainda abaixo dos 84% da média para os últimos cinco anos.

Fonte: Valor

Comentários

Schottel

Messe Munchen

Suatrans

Syndarma

ABTP

Abac

Tche Digital

TMSA

Antaq

ABTP

Sobena

Fenavega Abratec

 

Ecobrasil