A Repsol deixará de buscar o crescimento de seus negócios de petróleo e gás em antecipação à transição global para uma energia mais limpa, segundo uma pessoa a par do assunto.

A empresa espanhola de energia é a primeira entre seus pares a tomar uma medida do tipo. Isso mostra como as decisões estratégicas do setor começam a ser influenciadas pelos limites às emissões, pelos carros elétricos e pelas energias renováveis, o que tem gerado questionamentos a respeito da força da demanda de longo prazo.

A Repsol divulgará um plano de negócio atualizado no mês que vem que limita a produção de petróleo e gás aos níveis atuais e garante que a empresa não mantenha mais de oito anos de reservas em seus registros, disse a pessoa, que pediu para não ser identificada porque a informação não é pública. Esse tempo de reserva seria mais curto que o da maioria de seus pares, segundo dados compilados pela Bloomberg.

 

"O objetivo do nosso plano de negócio atual é manter a produção estável" em cerca de 700.000 a 750.000 barris de equivalentes de petróleo por dia, disse Kristian Rix, porta-voz da Repsol, por telefone.

Eólica e solar

A Repsol já anunciou que quer ser conhecida como uma empresa de energia e não como petroleira. Na assembleia anual de acionistas, na semana passada, o presidente do conselho, Antonio Brufau, dedicou parte significativa do discurso no evento para falar de mudanças climáticas.

"Não tenham nenhuma dúvida de que estamos totalmente comprometidos com a luta contra as mudanças climáticas", disse Brufau aos acionistas na assembleia de 11 de maio, em Madri. "As energias eólica e solar já são muito competitivas" e no futuro os carros elétricos também farão parte dos negócios da Repsol, disse.

Mesmo que renuncie ao crescimento do negócio de hidrocarbonetos, a Repsol continuaria sendo uma grande produtora de petróleo e gás. A empresa bombeou em média 727.000 barris de equivalentes de petróleo por dia no primeiro trimestre, maior patamar desde 2012, e o gás responde por 63 por cento do total. A Repsol continua buscando novos campos para reabastecer as reservas, substituindo 93 por cento do que era produzido em 2017 e 124 por cento no ano anterior.

A Repsol busca ativamente entrar no mercado de energias renováveis. Nos últimos meses, a empresa conversou com produtoras de energia limpa como Renovalia e X-Elio, mas nenhum acordo foi anunciado.

Outras grandes empresas de petróleo europeias estão adotando medidas similares. A Royal Dutch Shell está construindo estações de abastecimento para veículos a hidrogênio e elétricos e adquiriu um fornecedora de eletricidade. A norueguesa Statoil retirou o combustível fóssil do nome, passando a se chamar Equinor, e está desenvolvendo parques eólicos flutuantes além de campos de petróleo e gás.

Fonte: Uol

Comentários


Cash Computadores

Assine Portos e Navios



Syndarma

ABTP

Antaq

TMSA

Assine Portos e Navios

Abeam

Sobena

Terra Firma Abratec