A produção nacional de petróleo caiu 1,4% em setembro ante agosto -- para uma média de 2,486 milhões de barris diários, segundo a Agência Nacional de Petróleo (ANP). Na comparação com setembro de 2017, houve uma retração de 5,9%.

Já a produção de gás natural totalizou 113 milhões de metros cúbicos diários (m³/dia), o que representa um aumento de 6,1% frente a agosto e uma redução de 0,9% em relação a setembro do ano passado.

O aproveitamento de gás no Brasil alcançou os 97,2% do volume total produzido, em setembro. Foram disponibilizados ao mercado 56,4 milhões de m³/dia. Já a queima de gás totalizou 3,1 milhões de m³/dia, o que significa uma redução de 0,6% se comparada ao mês anterior e de 7,7% em relação a setembro de 2017.

 

Pré-sal

A produção de óleo e gás totalizou 3,196 milhões de barris de óleo equivalente por dia (BOE/dia) -- alta de 0,15% ante agosto. O pré-sal respondeu por 55,8% do volume total produzido, participação recorde.

A produção no pré-sal totalizou 1,783 milhão de BOE/dia, um aumento de 3,7% em relação a agosto. Foi produzido 1,419 milhão de barris/dia de petróleo e 58 milhões de m³/dia de gás natural.

O campo de Lula, na Bacia de Santos, foi o maior produtor de petróleo e gás natural. Gerou, em média, 851 mil barris/dia de petróleo e 35,5 milhões de m³/dia de gás natural.

Os campos marítimos responderam por 95,7% da produção de petróleo e por 76,5% do gás natural.

Fonte: Valor

Comentários


Cash Computadores



Syndarma

ABTP

Antaq

TMSA

Assine Portos e Navios

Abeam

Sobena

Terra Firma Abratec