A produção de açúcar por usinas do centro-sul do Brasil caiu abaixo do 1 milhão de toneladas na segunda quinzena de outubro.

Isso ocorre porque as usinas da principal região produtora do país caminham para o final da safra 2018/19 ainda com foco total na fabricação de etanol.

Conforme os dados divulgados nesta segunda-feira (12) pela Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), os últimos 15 dias de outubro, o setor produziu 958 mil toneladas de açúcar no centro-sul.

 

O número representa uma queda de 50% na comparação anual. No acumulado do ciclo, iniciado em abril, a fabricação do açúcar soma 24,3 milhões de toneladas, queda anual de 26,7%.

O resultado da última metade de outubro reflete um mix de apenas 30,2% da oferta de cana direcionada para a produção de açúcar, versus 43% um ano antes.

Desestimuladas por preços enfraquecidos na Bolsa de Nova York na maior parte deste ano e atentas à melhor remuneração do etanol no mercado doméstico, usinas deixaram o açúcar em segundo plano no atual ciclo.

Essa decisão empresarial levou o país a perder o posto de maior produtor mundial para a Índia, conforme avaliação de especialistas.

“Os dados reforçam a tendência observada ao longo de todo ciclo em que as empresas indicaram a preferência pela fabricação de etanol”, afirmou, em nota, o diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-açúcar, Antonio de Padua Rodrigues.

“Caso as usinas não tivessem alterado o mix de produção, teríamos registrado até agora uma produção de açúcar 7,5 milhões de toneladas superior àquela efetivamente apurada.”

Na quinzena, foram processados quase 25 milhões de toneladas de cana no centro-sul, recuo de 17,5% ante igual intervalo do ciclo anterior.

“A queda no ritmo de processamento nas unidades produtoras decorre da oferta reduzida de cana nesse ciclo, além da maior incidência de chuvas nas principais regiões produtoras nas últimas semanas, inviabilizando a operacionalização da colheita”, ressaltou Rodrigues.

Segundo a Unica, até 1º de novembro, 52 usinas haviam encerrado a safra, contra 53 um ano antes.

A entidade ressaltou que as precipitações em excesso nas últimas semanas estão retardando o término das atividades de campos, ao contrário do fim precoce inicialmente aventado.

Para a atual quinzena, a expectativa da associação é de que outras 79 usinas encerrem a safra.

A produção e a venda de etanol por usinas do centro-sul continuam fortalecidas. Segundo a Unica, foram fabricados 1,4 bilhão de litros na segunda quinzena de outubro, queda de 11%, por causa da disponibilidade de cana.

Entretanto, considerando-se apenas o álcool hidratado, usado diretamente nos tanques dos veículos, houve aumento de fabricação de 7%, para quase 1 bilhão de litros.

Fonte: Folha SP

Comentários


Cash Computadores

Assine Portos e Navios



Syndarma

ABTP

Antaq

TMSA

Assine Portos e Navios

ABTP

Sobena

Terra Firma Abratec