Os contratos futuros do petróleo operavam em alta nesta terça-feira, com os investidores esperando que as sanções dos Estados Unidos à Venezuela e os cortes de produção liderados pela Opep e aliados impeçam qualquer excesso, mas a divulgação de dados mostrando uma queda nas encomendas à indústria dos EUA pesavam sobre o mercado.

O petróleo Brent subia 0,38 dólar, ou 0,61 por cento, a 62,89 dólares por barril, às 9h15 (horário de Brasília).

O petróleo dos Estados Unidos avançava 0,5 dólar, ou 0,92 por cento, a 55,06 dólares por barril.

 

O otimismo sobre a oferta ajudaram os contratos futuros do petróleo a atingirem as máximas de 2019 na segunda-feira.

As negociações permaneciam em volumes mais baixos em parte do leste da Ásia, devido ao feriado do Ano Novo Lunar.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados, incluindo a Rússia, concordaram em realizar cortes na produção este mês para evitar um excesso.

No geral, a indústria petróleo acredita que a redução na oferta ajudará a equilibrar o mercado em 2019.

Analistas disseram que as sanções dos EUA contra a Venezuela também estão ajudando o mercado a acreditar em um fornecimento global mais apertado.

Mas dados do governo dos EUA mostrando que as encomendas de produtos fabricados nos EUA caíram inesperadamente em novembro, com quedas acentuadas na demanda por máquinas e equipamentos elétricos. 

Fonte: Reuters

Comentários

Datamar

Cash Computadores

Assine Portos e Navios



Pesa

ABTP

Abac

Tche Digital

TMSA

Assine Portos e Navios

ABTP

Sobena

Fenavega Abratec

 

Ecobrasil