Os preços do petróleo se afastam nesta quarta-feira um pouco das máximas de três anos e meio, mesmo com a notícia de cortes de produção pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e das sanções dos Estados Unidos ao Irã, exportador da commodity.

Os agentes consideram ainda relatório da Agência Internacional de Energia (AIE), de que a demanda global por petróleo deve registrar moderação em 2018 diante do aumento do preço do produto e do fato de que alguns países importadores da matéria-prima não oferecer mais aos consumidores subsídios significativos ao combustível.

A agência reviu sua estimativa de crescimento da demanda global para 1,4 milhão de barris diários em 2018, em vez de 1,5 milhão de barris por dia, e projeta uma demanda de petróleo de 99,2 milhões de barris diários neste ano.

 

Por volta das 9h40, o contrato do petróleo Brent para julho era negociado a US$ 77,70, com queda de 0,93%. O WTI para junho estava a US$ 70,93, recuo de 0,49%. Ontem, o Brent chegou a US$ 79,47 por barril, o maior nível desde novembro de 2014.

Ainda nesta quarta-feira, o Departamento de Energia dos Estados Unidos divulga os estoques comerciais de petróleo e derivados do país.

Fonte: Valor