Centenas de funcionários de plataformas offshore de petróleo e gás da Noruega entraram em greve nesta terça-feira, depois de rejeitarem uma proposta de acordo salarial, levando à paralisação de um campo de óleo operado pela Shell e ajudando os preços do Brent a subirem.

Um sindicato disse que mais trabalhadores se juntariam à greve no domingo se nenhum acordo sobre as demandas sindicais para um aumento salarial e direitos previdenciários fosse alcançado.

A Shell disse que, em decorrência da greve, estava temporariamente parando a produção em seu campo de Knarr, que tem produção diária de 23,9 mil barris, principalmente de petróleo, mas também de gás natural.

 

Fechar o campo, pertencente a Idemitsu, Wintershall e DEA, pode levar até 36 horas, disse a petroleira.

A Noruega é a maior produtora de petróleo da Europa Ocidental. A interrupção se soma a um decréscimo no fornecimento global de óleo e deu suporte aos preços do Brent.

A produção da maior produtora norueguesa, a Equinor, conhecida antigamente como Statoil, não foi afetada até o momento, disse a empresa, apesar de estar interrompendo as operações de perfuração em sua plataforma Snorre B.

Fonte: Reuters

Comentários


Schottel

Assine Portos e Navios



Syndarma

ABTP

Antaq

TMSA

Assine Portos e Navios

Abeam

Sobena

Terra Firma Abratec