O comitê de investimento do braço financeiro do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) quer lançar ainda neste ano o 5º edital de chamada pública para seleção de projetos para contratação de cerca de R$ 3,6 bilhões investimentos em infraestrutura (rodovias, portos, hidrovias, ferrovias, energia, saneamento e aeroportos). Na 4ª chamada pública, cujo prazo de entrega das propostas terminou em 31 de agosto, foram entregues seis propostas e selecionadas apenas duas para contratação de R$ 1,15 bilhão do FI-FGTS.

Segundo resultado da 4ª chamada, apresentado em reunião do comitê realizada hoje, um dos projetos selecionados prevê o investimento de R$ 1,15 bilhão do FI-FGTS em energia e o outro mais R$ 150 milhões em portos. Com a intenção era contratar R$ 4,8 bilhões em projetos, uma nova chamada será feita.

Segundo o novo presidente do comitê de investimentos, Carlos Eduardo Abijaodi, eleito para o cargo hoje, muitos dos projetos que não foram aceitos na 4ª chamada podem ser incluídos numa nova tentativa. Isso porque muitas das propostas foram desqualificadas devido a erros considerados simples, como a falta de apresentação de um documento.

 

“Estamos trabalhando para que o [5º] edital saia no fim deste ano ou no início do próximo”, afirmou Abijaodi.

Desde o fim de 2016, o FI-FGTS não libera recursos para novos projetos e a expectativa era de que algum investimento fosse feito até o fim do ano. Essa possibilidade ainda não está totalmente descartada porque existem R$ 2,2 bilhões de projetos em conclusão de análises de editais lançados desde 2017.

Na avaliação de Abijaodi, com a indefinição com relação ao quadro eleitoral, havia muita apreensão de empresários para a realização de novos investimentos. Com a definição do quadro, existe a expectativa de que os empresários voltem a planejar novos investimentos e o FI-FGTS pode ser beneficiado com esse movimento. O diretor executivo interino de Ativos de Terceiros da Caixa, Sérgio Bini, disse que a expectativa é de avanço das reformas o que tende a ajudar a impulsionar o Produto Interno Bruto (PIB).

Abijaodi, que foi escolhido para presidente do comitê hoje, é diretor do Departamento Industrial da Confederação Nacional da Indústria (CNI), só foi eleito para o cargo porque o governo, que detinha a vez para assumir a presidência, não apresentou indicação. Ele vai substituir Suzana Leite, que faz parte da União Geral dos Trabalhadores (UGT).

O representante dos empregadores no comitê de investimentos não soube informar porque o governo não fez sua indicação para o cargo. O mandato vai até o fim de 2019. Questionado sobre qual seria o impacto de uma eventual junção de ministérios para a composição do fundo, Abijaodi afirmou que é preciso aguardar para saber o que será efetivamente feito e se houver mudanças será nos representantes do governo no comitê de investimentos.

Fonte: Valor

Comentários


Cash Computadores

Assine Portos e Navios



Syndarma

ABTP

Antaq

TMSA

Assine Portos e Navios

ABTP

Sobena

Terra Firma Abratec