Os EUA ultrapassaram a Rússia em agosto como maior produtor mundial de petróleo, graças ao aumento recorde de sua produção.

A produção dos EUA subiu para um volume histórico de 11,346 milhões de barris por dia, segundo relatório mensal divulgado ontem pelo Departamento de Energia. A Rússia produziu 11,21 milhões em agosto, segundo o Ministério de Energia russo.

A produção americana cresceu 2,1 milhões de barris em relação a agosto de 2017, o maior aumento registrado desde 1920. As companhias de petróleo elevaram a extração em campos de xisto no Texas, Colorado e outros Estados em resposta à alta de 48% nos preços. A produção do Golfo do México atingiu um recorde, assim como a do Novo México, que se beneficiou do enorme crescimento na Bacia do Permiano.

 

Mas o reinado dos EUA pode ter vida curta: a Rússia produziu 11,37 milhões de barris por dia em setembro e pode estar acima de 11,4 milhões em outubro. Arábia Saudita e Rússia prometeram elevar a oferta para compensar a queda na produção da Venezuela e o vácuo do Irã, cujas exportações são afetadas pelas sanções dos EUA.

Embora as petroleiras americanas possam reduzir o ritmo até que novos projetos da Bacia do Permiano entrem em produção em 2019 e 2020, a produção americana ainda está crescendo. A Consultant Rystad estima que, mesmo a US$ 55 o barril, a produção dos EUA pode chegar a 16,5 milhões de barris por dia até 2030.

Fonte: Valor

Comentários


Schottel



Syndarma

ABTP

Antaq

TMSA

Assine Portos e Navios

Abeam

Sobena

Terra Firma Abratec