A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) reduziu nesta manhã sua estimativa para a produção brasileira de grãos em 2017/18 para 228,52 milhões de toneladas, em seu 10º levantamento sobre a safra. O volume é 3,9% inferior ao recorde de 2016/17, de 237,67 milhões de toneladas, e um recuo de 0,5% se comparado à projeção de junho. 

A principal razão para o recuo é o milho de inverno (chamada de safrinha), que foi reduzida pela Conab em 3,8% na comparação com a estimativa anterior, para 56,02 milhões de toneladas. Por falta de chuvas nas áreas produtoras, essa safrinha deverá ser 16,9% inferior à de 2016/17. 

Conforme a Conab, a área semeada de milho de inverno atingiu 11,5 milhões de hectares, o que representa uma redução de 4,2% ante a safra de inverno do ciclo 2016/17. A diminuição da área é menor em razão dos preços baixos do milho na época da tomada da decisão.

 

Do lado inverso, a safra de soja, a principal do país, foi revista para cima em 0,7%, para 118,89 milhões de toneladas. Se confirmada, será 4,2% superior à da temporada passada.  Conforme a Conab, o melhor desempenho da oleaginosa neste ciclo se deve ao expressivo aumento da área semeada, que saiu de 33,9 para 35,1 milhões de hectares na safra atual — um ganho absoluto de 1,2 milhão de hectares, o maior entre todas as culturas avaliadas. Além disso, com a colheita praticamente terminada, a Conab averiguou ganhos importantes na  produtividade das sementes, que atingiram 3.382 kg por hectare, o que configura um novo recorde na produtividade média da cultura. No ciclo passado, os sojicultores colheram 3.364 kg por hectare semeado. “A produtividade dessa safra é resultado da aplicação de um bom pacote tecnológico, aliado a precipitações e temperaturas favoráveis, apesar de alguns problemas no sul do país”, diz a autarquia, vinculada ao Ministério da Agricultura, em relatório. 

Outro destaque de alta é o algodão, com aumentos de 28,2% na produção do caroço e de 28,5% da pluma entre a safra passada e o levantamento divulgado hoje, para 1,965 milhão de toneladas e 2,945 milhões de tonelada, respectivamente. 

A área de grãos é estimada pela Conab em 61,64 milhões de hectares, leve alta sobre a projeção passada, de 61,60 milhões de hectares, e aumento de 1,2% ante os 60,89 milhões de hectares semeados em 2016/17.

O levantamento da autarquia foi realizado entre 17 e 23 de junho.

Fonte: Valor

Comentários


Schottel



Syndarma

ABTP

Antaq

TMSA

Assine Portos e Navios

ABTP

Sobena

Terra Firma Abratec