O grupo siderúrgico indiano Tata Steel vai considerar ter uma participação majoritária na planejada joint-venture com a alemã Thyssenkrupp depois que a empresa for listada no mercado, de acordo com duas fontes familiarizadas com o assunto.

A disposição da Tata de aumentar sua participação é um sinal de compromisso de expandir globalmente suas operações de siderurgia, disseram as fontes. Isso foi questionado por investidores e analistas nos últimos anos, depois que a empresa, sob o comando de Cyrus Mistry colocou seus ativos britânicos de aço à venda após anos de perdas.

Tal desenvolvimento na joint venture planejada - que criaria o segundo maior grupo siderúrgico da Europa depois da ArcelorMittal - também se encaixaria na estratégia da Thyssenkrupp de reduzir a exposição à produção de aço para se concentrar na fabricação de produtos industriais e tecnológicos com margem de lucro mais alta.

 

“Eles têm visões diferentes. A Thyssenkrupp está querendo sair do setor siderúrgico, enquanto a Tata está procurando ficar e crescer”, disse uma das fontes. A Tata Steel e a Thyssenkrupp se recusaram a comentar.

As duas empresas firmaram um acordo preliminar no ano passado para fundir seus ativos de aço europeus em uma joint venture com partes iguais. Os investidores esperam amplamente que haja uma oferta de ações da nova empresa combinada.

A Tata Steel estaria “com o caminho aberto para assumir um pedaço maior do bolo” na aliança Thyssenkrupp, assim que a entidade resultante da fusão seja listada publicamente, disse a segunda fonte.

Fonte: Reuters