O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou sem restrições a venda de 34,93% da gaúcha Kepler Weber, fabricante de silos e armazéns de grãos, para a AGCO do Brasil, controlada pela americana AGCO, uma das maiores fabricantes de máquinas agrícolas do mundo. As ações que passarão para a empresa estão nas mãos de Previ e Banco de Investimentos do Banco do Brasil (BB-BI).

A proposta de compra da AGCO prevê que haja uma oferta pública subsequente de ações. A AGCO deve adquirir um montante que represente - em conjunto com as ações adquiridas do fundo de pensão Previ e BBI - não menos do que 65% do capital votante da Kepler Weber. Após o fechamento da operação, a AGCO do Brasil passará a deter o controle da Kepler Weber.

Em fevereiro, a múlti americana anunciou a oferta de US$ 185 milhões para adquirir a companhia brasileira. A Kepler Weber complementa o portfólio da GSI, controlada pela AGCO, que atua no mesmo segmento e foi adquirida em 2011. A própria GSI tentou comprar a Kepler Weber em 2007, mas a transação não prosperou.


O Cade entendeu que "a grande quantidade de players no mercado, as características dos produtos ofertados, o fato de o mercado estar passando por uma fase de redução de oferta e a grande capacidade dos concorrentes de absorver um aumento de demanda afastam o risco de exercício de poder de mercado" por parte da AGCO.

No mês passado, Olivier Colas, vice-presidente da Kepler Weber disse ao Valor que uma das estratégias é direcionar esforços para crescer em outros países da América Latina. O objetivo é ampliar a participação nas exportações totais de seu segmento na região de 35% para 50% em dois anos. O executivo lembrou, na ocasião, que a AGCO, no portfólio de produtos da marca GSI, tem linhas voltadas à América Latina. 

Fonte: Valor