Com a melhora das condições econômicas e das expectativas para o futuro, a confiança industrial voltou a crescer. Em março, o indicador alcançou os 54 pontos, o maior nível em mais de três anos.

Os dados são da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e foram divulgados nesta sexta-feira (17). Segundo a entidade, a melhora foi generalizada e alcançou todos os portes e ramos principais da indústria.

Esse indicador funciona de maneira semelhante a um termômetro, quando ele está acima de 50 pontos, sinaliza confiança em alta. Quando ele está abaixo, sugere retração. Em março, as empresas mais otimistas eram as grandes, com 56,2 pontos. As médias ficaram com 53,1, e as pequenas, com 50,4.

A melhora na confiança também pode ser percebida na maioria dos setores das indústrias extrativa, de transformação e da construção. Em janeiro, 21 segmentos apresentavam falta de confiança; em fevereiro, esse número caiu para sete e, em março, esse número foi para cinco.

Crescimento generalizado

Dos ramos observados, os melhores desempenhos foram de farmoquímicos (60,5 pontos), calçados (58,8), extração de minerais metálicos (58,1), produtos têxteis (57,5), equipamentos de informática (56,8), material de plástico (56,6) e celulose (56,6).

No caso de celulose e papel, esse número é um termômetro a mais por ter uma forte correlação com o desempenho da economia e da indústria. Quanto maior a venda de papelão ondulado, maior é a venda de produtos e mais a economia avança.

Fonte: Portal Brasil