Technomar

Parceria com instituição espanhola traz ao Brasil mestrado em gestão e inovação para portos

Um acordo de cooperação entre o governo brasileiro, associações setoriais e a Fundación Valenciaport, da Espanha, vai desenvolver no Brasil um mestrado profissional em logística e gestão portuária. O curso é voltado para profissionais sênior do setor público e privado brasileiro, como gerentes, diretores e presidentes de portos, terminais, empresas logísticas e de comércio exterior interessados em um programa reconhecido internacionalmente. A parceria, firmada em março durante a feira Intermodal South America, em São Paulo, prevê que os cursos já devem estar disponíveis no país em setembro.

Agentes do setor identificam que o setor portuário brasileiro é carente de bons programas de formação para seus executivos. Para os idealizadores do curso, existe uma demanda latente por programas de excelência, tanto por profissionais das autoridades portuárias e de terminais privados, quanto de especialistas das empresas de logística e comércio exterior. A percepção dos analistas é que o setor logístico e portuário em todo o mundo está passando por uma forte transformação. Os desafios são diversos, como a alta concentração de armadores e dos operadores de terminais, aumento do tamanho dos navios, transição energética, transformação digital e o chamado poder disruptivo das novas tecnologias na operação portuária. Esse novo cenário faz com que as decisões se tornem cada vez mais complexas e que demandem um conhecimento multidisciplinar dos profissionais. 

A Fundación Valenciaport é o braço de inovação, formação e cooperação internacional do Porto de Valência, Espanha. A área de formação da Fundación Valenciaport desenvolve cursos operacionais e de gestão para diferentes perfis, tanto em Valência como in-company no exterior. “Estamos na 28ª edição na Espanha. Já replicamos o mesmo na América Latina na Colômbia, Panamá e o mais recente, ano passado, na Argentina. Este ano teremos uma segunda edição na Argentina”, conta o gerente de projetos de inovação da Fundación Valenciaport, Jonas Mendes Constante. Os profissionais que vão ministrar os cursos no Brasil são os mesmos que ministram e participam dos programas da instituição na Espanha e Argentina.

A instituição vai ministrar os cursos, indicar os professores e fornecer o material pedagógico, enquanto o Ministério da Infraestrutura, em parceria com as entidades do setor portuário, proverá o espaço físico, com todas as instalações necessárias. O curso de especialização em logística e gestão portuária, bem como cursos de capacitação para os trabalhadores administrativos do sistema portuário, englobam a formação, qualificação profissional e a transferência de tecnologia.

O Ministério da Infraestrutura avalia que o memorando firmado abre caminho para que as associações do setor possam fazer boas contratações e aponta entre os benefícios a diminuição dos custos de acesso à informação de qualidade sobre o tema gestão portuária. “A cooperação faz com que os envolvidos da comunidade portuária possam se especializar com a expertise de uma instituição mundialmente conhecida pelo seu know how de cursos de especialização”, informou a pasta por meio de sua assessoria.

A Associação Brasileira de Terminais Portuários (ABTP) destaca que a vinda de cursos Master de aperfeiçoamento na área de logística e gestão Portuária para o Brasil contará com apoio das entidades setoriais para fomentar a participação dos associados, incluindo empresários e corpo técnico. “Há no Brasil diversos cursos, congressos e eventos voltados para profissionais do setor portuário. Entretanto, novas opções como essa da Fundación Valenciaport são sempre importantes para aperfeiçoarmos nosso quadro técnico e a troca de experiência entre países”, acredita o presidente da ABTP, Jesualdo Silva.

Para os terminais privados, a parceria é propícia para que o Brasil compreenda melhor como outros portos se comportam quanto aos limites da regulação e à liberdade de empreender do capital privado, o que resulta em maior produtividade para variados setores da economia. A Associação Brasileira de Terminais Portuários Privados (ATP) vê no Brasil diversas iniciativas educacionais e de qualificação para gestão portuária, espalhadas em universidades públicas e privadas. "O Brasil produz muita obra acadêmica e projetos sobre o sistema portuário, o que não significa que devemos ignorar as experiências internacionais", pondera a diretora da ATP, Luciana Guerise. A associação diz que a iniciativa ajuda a introduzir uma série discussões de conteúdos e formas no dia-a-dia da gestão dos portos.

Na visão da Federação Nacional dos Operadores Portuários (Fenop), a necessidade de programas de treinamentos e capacitações para as novas realidades portuárias é um dos principais instrumentos apontados pela Organização Internacional do Trabalho (OIT). “Infelizmente o Brasil não deu a devida atenção para os programas de treinamentos e requalificações no setor portuário e permanecemos entre um pequeno grupo de países que ainda se debruça com conflitos laborais portuários e com a desatualização de muitos componentes das administrações portuárias”, salienta Sérgio Aquino, presidente da Fenop. Ele diz que o modelo portuário e o governo da Espanha podem auxiliar estes desafios do sistema portuário brasileiro, por meio de uma instituição que é reconhecida como de alta capacidade na transmissão de conhecimento em diversos países.

Aquino entende que o Brasil ao longo do tempo se afastou das melhores práticas aplicadas mundialmente para o setor portuário, citando que a edição da medida provisória 595/2012, connvertida na atual Lei 12.815/13, finalizou esse processo e implantou no país um sistema portuário centralizador, desequilibrado e contrário aos modelos portuários mundiais. O presidente da Fenop acrescenta que nas administrações portuárias tal quadro se agrava em função dos longos anos de interferências político-partidárias em suas composições e gestões. “Sobre estes temas, a Espanha também é uma referência positiva. A Valenciaport pode auxiliar na recuperação das atividades das administrações portuárias e também nas qualificações dos trabalhadores do setor portuário brasileiros”, aposta.

Segundo a Fundación Valenciaport, o curso será importante para os profissionais ampliarem o networking e se atualizarem com o que há de mais moderno em ferramentas de gestão e boas práticas nos mais diversos temas que percorrem a logística portuária. “Este programa se tornou referência na Europa, sendo realizado com muito sucesso em Valência há mais de 28 anos, e tendo uma forte rede de ex-alunos em posições de liderança nas principais organizações do setor logístico-portuário em muitos países”, explica Constante.
 

Por Danilo Oliveira
(Da Redação)

Comentários

Cash Computadores

Assine Portos e Navios

Consórcio Águas Azuis

Syndarma

OTC Brasil

Tche Digital

Assine Portos e Navios

Aapa

Abeam

Sobena

Sinaval Abratec