Onde os fretes irão parar?

Que 2020 está sendo um ano “extraordinário”, disso ninguém tem dúvida. Há seis meses, quando a OMS declarava a COVID-19 uma pandemia global, nem os analistas mais otimistas conseguiram prever os atuais níveis de frete, utilizações e resultados dos armadores.

E as perspectivas para os resultados do ano demonstram que as rápidas medidas adotadas pelo setor foram determinantes para isso. Uma gestão eficiente da oferta, tornada possível pela forte consolidação pela qual esse setor passou na última década, associada à queda no preço dos combustíveis e a súbita retomada da demanda em muitas rotas a partir de julho vem sustentando sucessivos recordes de altas nos fretes nas principais rotas do mundo semana após semana.

Restrito a assinantes