MSC

Artigo - Transporte marítimo: crescimento, automação e o futuro da logística naval

O setor portuário viveu um verdadeiro boom em fevereiro deste ano, com um crescimento impressionante de 11,44%, segundo os dados da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). E sabe o que puxou esse aumento? Principalmente as cargas conteinerizadas, além dos granéis sólidos e líquidos que também tiveram um ótimo desempenho.

Em números, isso significa que foram movimentados 99,83 milhões de toneladas de cargas só em fevereiro. Para ter uma ideia, no mesmo período do ano passado, esse número foi de 89,58 milhões de toneladas. O destaque ficou com o minério de ferro, que subiu 17,85%, o petróleo e derivados, que aumentaram 16,23%, e a soja, com um crescimento de 19,70%.

Falando especificamente das cargas conteinerizadas, a movimentação chegou a 11,2 milhões de toneladas, um salto de 29,19% em comparação ao ano passado. Isso representa 1 milhão de TEUs, com um aumento de 24,5% só em fevereiro de 2024. Desse total, 7,7 milhões de toneladas foram movimentadas em rotas de longo curso e 3,4 milhões por cabotagem.

PUBLICIDADE


Imagine agora fazer essa movimentação sem nenhum tipo de automação ou tecnologia envolvida. Seria impossível a chegar a números com esses. No entanto, ainda estamos engatinhando nesse processo e precisamos enfrentar todos os obstáculos existentes se quisermos continuar avançando.

Todo esse crescimento no setor portuário destaca a importância crescente da automação nos portos. Com o aumento significativo no volume de cargas, a automação torna-se essencial para garantir a eficiência e a capacidade de operação dos portos. Sistemas automatizados de movimentação de contêineres, guindastes controlados por inteligência artificial e plataformas de monitoramento digital são apenas algumas das inovações que estão revolucionando a logística portuária.

A automação não apenas aumenta a eficiência operacional, mas também melhora a segurança. Com a implementação de tecnologias avançadas, como sensores e câmeras de vigilância inteligente, é possível monitorar em tempo real todas as atividades portuárias, identificando e respondendo rapidamente a quaisquer problemas ou ameaças. Isso reduz significativamente os riscos de acidentes e melhora a segurança do trabalho.

Além disso, a automação contribui para a redução de custos operacionais. Sistemas de gestão automatizados permitem uma alocação mais eficiente dos recursos, diminuindo o desperdício e otimizando o uso de equipamentos e pessoal. A manutenção preditiva, facilitada por sensores inteligentes que monitoram o estado dos equipamentos, também ajuda a evitar falhas inesperadas e prolonga a vida útil dos ativos, resultando em economias substanciais a longo prazo.

É preciso que fique evidente que a adoção de tecnologias avançadas não só aprimora as operações diárias, mas também posiciona os portos para enfrentar os desafios futuros de maneira mais robusta e sustentável. Este é o caminho para um setor portuário mais dinâmico, seguro e eficiente, capaz de suportar o crescimento contínuo e as demandas globais.

Luiz Sória é CEO da Skymarine



Praticagem

   ATP    GHT    Oceanpact
       

Hidroclean

 

 

Países Baixos

 

  Pesa   Assine Portos e Navios
       
       

© Portos e Navios. Todos os direitos reservados. Editora Quebra-Mar Ltda.
Rua Leandro Martins, 10/6º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ - CEP 20080-070 - Tel. +55 21 2283-1407
Diretores - Marcos Godoy Perez e Rosângela Vieira