Porto do Açu
  • ZPE Ceará - Zona de Processamento pode começar a operar

    Com área alfandegada de 571,96 hectares, a Zona de Processamento de Exportação (ZPE) no Ceará, localizada no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp), foi autorizada a operar, por ato publicado no Diário Oficial da União. A empresa responsável pela implantação e administração será a ZPE Ceará. O alfandegamento possui prazo indeterminado na modalidade de uso público.

  • Tecondi - Recorde de 104,62 movimentos p/h

    Após atingir a marca de 83,71 movimentos por hora (mph), em 16 de fevereiro, e ter como desafio a meta de 90 mph para o primeiro trimestre, o Tecondi alcançou a marca histórica de 104,62 mph no último dia 13 de março.

  • Segurança - Portos paranaenses reforçam inspeção

    O governo do Paraná contratará serviços de inspeção de cargas e de contêineres através de sistemas de scanner, construção de muros e a substituição de grades e portões em todas as áreas de acesso controlada da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa).

  • Primeiro passo


    Roberto Stuckert Filho/PR

     

    Inauguração de fábrica de estruturas metálicas marca início de bilionário plano para construção de submarinos

     

    Após três anos de obras, o governo inaugurou, em março, a unidade de fabricação de estruturas metálicas (Ufem) de Itaguaí (RJ). O empreendimento integrará a infraestrutura industrial da Marinha para construção e manutenção de submarinos convencionais e nucleares.

  • Primeira escala - Itapoá recebe o ‘Sebastião Caboto’

    O porto Itapoá recebeu pela primeira vez o novo navio Sebastião Caboto, que passará a fazer escalas semanais no terminal. O porta-contêineres é o primeiro de uma série de quatro navios idênticos que serão empregados pela Aliança Navegação e Logística em seu serviço de cabotagem no Brasil. Os outros três navios serão incorporados à frota da empresa no decorrer de 2013, em um investimento de mais de R$ 450 milhões.

  • Precisa-se de bons funcionários

    Déficit de mão de obra atinge também o setor de portos e operadores portuários desenvolvem programas de RH

    Como ocorre em diversos setores da economia do Brasil, o setor portuário, que é o principal canal de escoamento de cargas exportadas e importadas do país, sofre com a falta de mão de obra qualificada. Ao mesmo tempo em que a demanda nacional por transporte de produtos e mercadorias cresce em ritmo exponencial, o setor enfrenta o problema de escassez de operadores de terminais portuários treinados e do envelhecimento dos trabalhadores mais experientes e, consequentemente, da aposentadoria dos mesmos. Os portos precisam de pessoal capacitado, e estão investindo para isso. Mas enfrentam problemas.

  • Movimentação intensa

     

     

    Linhas de crédito, expansão portuária e demanda na região Norte levam otimismo a fornecedores

     

    Os fornecedores de equipamentos de movimentação de contêineres e carga geral têm expectativa positiva com o segmento, reflexo em parte pelas ações do governo para desenvolvimento do setor portuário, incluindo investimentos em hidrovias. O mercado aposta particularmente que o transporte fluvial crescerá nos próximos anos.

  • Menos empregos na construção naval

    Redução já vem acontecendo desde os últimos meses de 2012 devido à diminuição da construção de navios

    O Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval) constatou a diminuição do número de emprego de trabalhadores no setor neste primeiro trimestre do ano. A redução vem acontecendo desde os últimos meses de 2012. De acordo com o presidente do Sinaval, Ariovaldo Rocha, embora a Petrobras confirme adesão à política de conteúdo local, as estatísticas demonstram a grande redução da construção local de navios de apoio marítimo. Não contribui positivamente a transferência para estaleiros da China de parte das obras de FPSOs. Consequentemente os estaleiros implantados para atender a essa demanda já sofrem com a redução de encomendas e a perda de postos de trabalho já tem aparecido nas estatísticas.
  • Hidrovia promissora

    O consórcio Ecoplan Engenharia-Petcon desenvolve, para a Administração das Hidrovias do Sul (AHSUL), estudos de viabilidade técnico-econômica e ambiental (EVTEA) e projetos básicos e executivos de engenharia para aproveitamento pleno da hidrovia Brasil-Uruguai.

  • Hamburg Süd - Armador publica relatório de responsabilidade

    O Grupo Hamburg Süd publicou seu primeiro relatório de responsabilidade. Denominado “Fazemos disso o nosso negócio”, o material documenta não só aspectos ambientais, mas também a responsabilidade social nas atividades das empresas. Ao mesmo tempo, o documento apresenta de forma detalhada as medidas reais em que estão inseridas a Hamburg Süd e a Aliança em termos de responsabilidade.

  • Guindaste - TCE compra equipamento de 150 ton.

    O estaleiro TCE está renovando suas instalações e recursos para melhor atender à demanda do mercado. A companhia adquiriu um guindaste com capacidade de 150 toneladas da fornecedora chinesa Sany. A previsão é que o equipamento esteja operacional neste mês de abril.

  • Guaxupé - Sul de Minas ganha Redex

    O Sul de Minas recebeu o primeiro Redex – Recinto Especial para Despacho Aduaneiro de Exportação, que passa a operar permanentemente no Complexo Industrial Japy da Cooxupé, situado no município mineiro de Guaxupé/MG. A inauguração ocorreu no dia 19 de março.

  • GNL como combustível marítimo

    Tema será destaque na Europort 2013

    À medida em que aumentam as regulamentações sobre emissão de poluentes, crescem também os esforços para promover o gás natural liquefeito (GNL) como uma opção de combustível. O argumento para se utilizar gás natural liqueito (GNL) como combustível marítimo torna-se cada vez mais forte.  O uso de GNL reduz a emissão de nitrogênio de óxido (Nox) e dióxido de carbono (CO2) dos navios, permitindo aos operadores enfrentar restrições na Zona de Controle de Emissão de Enxofre (ZCEE), que se tornarão mais rigorosas a partir de 2015.

  • Fazenda Marinha - Projeto da Vale repovoa Baía de Sepetiba

    A Vale mantém no Terminal da Ilha Guaíba (TIG), em Mangaratiba, sul do Rio de Janeiro, um projeto voltado para a educação ambiental, capacitação dos pescadores locais e para monitoramento e repovoamento da fauna marinha da região.

  • Environship - Projeto Rolls-Royce é premiado

    A Rolls-Royce recebeu o prêmio “Tecnologia Verde em Navios” por seu projeto de embarcação para transporte de cargas, o Environship. Com design revolucionário e sistema inovador, o navio é capaz de reduzir em 40% as emissões de dióxido de carbono (CO2) no meio ambiente, quando comparado a outros navios similares movidos a diesel.

  • Encomendas - Dois novos FPSOs para Lula

    A Petrobras, BG E&P Brasil e Petrogal Brasil, parceiros no Bloco BM-S-11, estão em negociação para a contratação junto ao consórcio QGOG/SBM (Queiroz Galvão Óleo e Gás S.A./ SBM Offshore) de dois FPSOs para utilização no desenvolvimento da produção das áreas de Lula Alto e Lula Central, no Campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos.

  • Destinação correta

     

     


    Fábio Scremim/APPA

    SEP e universidades avançam no programa de gestão de resíduos nos portos, que inicia segunda fase

    O descarte de resíduos sólidos e efluentes de forma ambientalmente correta é um dos obstáculos para os portos atingirem um nível alto de eficiência ambiental. Inspirados na política nacional de resíduos (lei 12.305/2010) e na experiência de portos europeus e norte-americanos considerados sustentáveis, grupos de trabalho formados por 14 universidades, com apoio da Secretaria de Portos (SEP), finalizam até meados de 2013, um diagnóstico do gerenciamento de resíduos em 22 portos brasileiros.
  • Costura difícil - Negociações seguem para a MP 595

    O governo negocia a antecipação da renovação dos contratos de concessão de terminais arrendados em portos públicos em troca de investimentos. A medida, pedida pela Associação Brasileira de Terminais Portuários (ABTP), é uma das alternativas compensatórias aos operadores portuários, que temem a concorrência dos terminais privativos autorizados a movimentar para terceiros sem a obrigatoriedade de carga própria, a partir da MP 595.

  • Contrato de US$ 160 milhões - ABB fornecerá pacote elétrico para navios-sonda

    A ABB fornecerá o pacote elétrico para os sete navios-sonda que o estaleiro Jurong construirá para a Sete Brasil.  O contrato soma US$ 160 milhões e é um dos maiores da divisão industrial da ABB no Brasil em 2013.  Segundo o diretor da Divisão de Automação e Processos da ABB no Brasil, Ricardo Hirschbruch, diversos componentes serão nacionalizados. As entregas dos equipamentos estão previstas para o período entre 2014 e 2018.

  • Capacitação para o judiciário

    Tese de mestrado revela que juízes brasileiros não estão capacitados a julgar em assuntos de pré-sal e comércio internacional

    Falta capacitação ao poder judiciário brasileiro para lidar com o pré-sal e o comércio internacional. A afirmação é do advogado Wellington Beckman, após estudar os conteúdos pedagógicos ministrados nas Escolas de Magistratura Federal da 2ª Região e das Escolas de Magistraturas Estaduais do Rio de Janeiro e Espírito Santo. Para ele, igualmente as provas dos respectivos concursos para provimento de cargos demonstram que as disciplinas adequadas às demandas do pré-sal, do comércio internacional e das atividades portuárias e aduaneiras não fazem parte das  grades curriculares.

  • Bacias vivas e viáveis

    Plano Nacional de Integração Hidroviária analisa demandas e indica áreas propícias para instalações portuárias

    A Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) lançou, no último mês de fevereiro, o Plano Nacional de Integração Hidroviária (PNIH). A agência realizou estudo detalhado sobre as hidrovias brasileiras, buscando analisar a provável demanda por transportes hidroviários para horizontes definidos, além de indicar áreas propícias para instalações portuárias. Foram analisadas as bacias Amazônica, do Paraguai, Paraná-Tietê, de São Francisco, do Sul e Tocantins-Araguaia.
  • Aquém das expectativas

    Segmento de apoio portuário não tem crescido conforme esperado pelas companhias, que já observam ociosidade

    Duzentas e dezessete empresas estão autorizadas pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) a operar embarcações de apoio portuário no Brasil. Os dados são provenientes do Anuário Estatístico Aquaviário 2012, divulgado pela agência em fevereiro deste ano. Ao todo, a frota do segmento é de 1.330 embarcações. Apesar das mais de 200 outorgas, o Sindicato Nacional das Empresas de Navegação de Tráfego Portuário (Sindiporto Brasil) conta com apenas 23 associadas. E, para elas, o mercado não tem crescido conforme as expectativas.

  • APM Terminals - Primeiro navio do serviço Sanwaf

    A APM Terminals Itajaí, responsável pela movimentação de contêineres no porto de Itajaí, recebeu em março o RHL Aqua, primeiro navio do serviço Sanwaf. Com escalas semanais em Itajaí, o serviço operado pelos armadores CMA-CGM/Delmas e Nile Dutch escala os principais portos brasileiros e dois portos na África (Luanda e Pointe Noire).

  • Antonina - Ações para dar destaque ao porto

    O porto de Antonina (PR) tem novo diretor. Luis Carlos de Souza tem como desafio desenvolver e recuperar prestígio para o porto paranaense. A primeira ação sob a gestão do novo diretor é a continuidade das obras de recuperação do antigo prédio da administração.

  • Aberto a sugestões

    CNAP dá o passo inicial para mudar a praticagem no Brasil. Centronave apoia e Conapra estuda proposta para se posicionar

    Pouco mais de dois séculos após a edição do primeiro normativo que regulamentou o serviço de praticagem no Brasil (em 1808), o governo quer promover uma reforma profunda na atividade. O ponto de partida é a proposta de metodologia de regulação de preços, publicada no último dia 7 de março, pela Comissão Nacional para Assuntos de Praticagem (CNAP). Em linhas gerais, o que se pretende é fazer com que a praticagem tenha um tratamento equivalente a qualquer outro serviço público regulado e com preços adequados para a realidade de cada porto brasileiro.
  • € 20 milhões - Wärtsilä terá fábrica no porto do Açu

    A Wärtsilä assinou um acordo para a instalação de uma fábrica de equipamentos de geração de energia e propulsão naval no Superporto do Açu. A fábrica representa um investimento de € 20 milhões, de capital próprio, da multinacional finlandesa no Brasil. A empresa, que atua no país há 23 anos, aposta nas novas instalações para acompanhar as exigências de conteúdo local e atender à crescente demanda de mercado, sobretudo na indústria offshore.

  • ‘Tagaz’ - Wilson, Sons batiza novo PSV

    A Wilson Sons Ultratug Offshore, joint venture entre o Grupo Wilson, Sons e a chilena Ultramar, batizou em 12 de março o Platform Supply Vessel (PSV) 4.500 Tagaz. Construído pela Wilson, Sons Estaleiros, o PSV é a décima quinta embarcação da frota de apoio ao mercado de petróleo e gás da companhia e entrará em operação pela Petrobras.